Topo

5 coisas que as mulheres não podem fazer no Afeganistão

Comente

O Afeganistão é considerado como uma das regiões mais instáveis do Planeta, com uma série de disputas políticas e religiosas que afetam a sociedade como um todo. De tempos em tempos acontecem mudanças importantes que acabam promovendo uma série de alterações em como aquela sociedade funciona e se organiza. 

No ano de 2021, mais uma vez as coisas mudaram completamente na região, quando o Talibã assumiu o poder, o que aconteceu cerca de duas semanas depois que os Estados Unidos concluíram a retirada de suas tropas após uma guerra que durou quase 20 anos. A tomada do poder bem-sucedida quando os insurgentes avançaram por todo o país, capturando todas as principais cidades em questão de dias, sem que as forças de segurança afegãs, treinadas e equipadas pelos EUA, oferecessem o mínimo de resistência.

O Talibã é um grupo extremista islâmico que se tornou uma das grandes forças da região. Eles governaram o país no final da década de 1990. A invasão do Afeganistão liderada pelos Estados Unidos em 2001 expulsou os insurgentes do poder, mas eles nunca deixaram de fato o país. Depois da ofensiva que avançou pelo Afeganistão nos últimos dias, o governo apoiado pelo Ocidente entrou em colapso. 

Veja também:

O movimento acabou causando uma tentativa de fuga em massa da população que mora no Afeganistão. A grande maioria das pessoas temiam que a região acabasse entrando no caos ou que o Talibã poderia iniciar uma onda de perseguições e vinganças contra aqueles que trabalharam ou prosperaram durante o período em que os norte-americanos controlavam a área. 

E as mulheres acabaram se tornando as que mais sofrem, já que o Talibã costuma ser extremamente rígido em relação aos comportamentos femininos.

5 coisas que as mulheres não podem fazer no Afeganistão

Confira 5 coisas que as mulheres simplesmente não podem mais fazer no Afeganistão sendo controlado pelo Talibã. 

Praticar esportes

Algo que as mulheres não podem mais fazer em uma região controlada pelo Talibã é praticar esportes de uma forma profissional ou oficial. Na verdade, eles só podem fazer isso de uma forma muito discreta. Em uma declaração oficial, o vice-chefe da comissão cultural do Talibã, Ahmadullah Wasiq, chegou a dizer que "as mulheres não deveriam jogar críquete por não ser algo necessário.

Uma das grandes preocupações dessas pessoas que estão no poder é de que as mulheres passem por uma determinada situação durante a prática em que seus corpos e suas faces poderiam ser expostas, algo que eles realmente não aceitam. Mesmo que o governo atual não tenha baixado uma lei que proíba oficialmente as mulheres da prática esportiva, elas sabem que a sociedade recrimina e isso fez com que diversos projetos e programas voltados para as mulheres que desejam ser esportistas fossem encerrados. 

Fazer qualquer tipo de viajem sozinhas

Algo que o Talibã fez questão de resgatar assim que assumiu o poder foi o de restringir a liberdade de ir e vir das mulheres. O governo emitiu, no final do ano passado, um comunicado exigindo que todas as mulheres que forem viajar para mais de 72 km de distância do local onde mora estejam acompanhadas de pelo menos um membro masculino que faça parte da sua família. 

Além disso, o governo também proibiu que os motoristas ofereçam qualquer tipo de carona para as mulheres que não estejam com seus rostos cobertos. 

Escolher o que ela próprio pode vestir

O Talibã segue sendo muito restrito em relação as vestimentas das mulheres e a forma como elas se expõe de uma forma pública. Uma das primeiras medidas do novo regime foi anunciada pelo ministro da educação, que afirmou que as mulheres seriam novamente obrigadas a usar o hijab como parte de um código de vestimenta. Além disso, foi criada uma grande campanha publicitária para encorajar as mulheres a se vestirem da forma como o governo acha apropriada. 

Ter uma educação apropriada

Mesmo ainda tolerando a presença de algumas mulheres nas escolas, de uma formam geral o governo Talibã não aprova a educação tradicional oferecida para meninas e mulheres. O novo governo proibiu as meninas do sexto ao décimo ano de continuar frequentando as escolas. De uma forma oficial essa medida foi anunciada como algo temporário, mas que tem tudo para realmente se tornar uma medida permanente e amplificada. 

Ter uma profissão

As mulheres devem trabalhar bastante dentro deste regime, mas apenas dentro das suas próprias casas, atendendo as necessidades das famílias. Assim que assumiu o poder, o governo ordenou que todas as mulheres que trabalhavam no setor público fossem para casa “até que todos os procedimentos estejam em vigor para garantir a segurança feminina”, algo que pode ser visto apenas como uma desculpa. 


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: