Topo

Índice de consumo de produtos piratas no Brasil atinge baixa histórica - veja

5.00 / 5 - 1
Comente

Muitas marcas que atuam no mercado brasileiro, encontraram motivos para comemorar nesse ano de 2014. Isso porque pelo terceiro ano consecutivo, o índice de consumo de produtos piratas experimentou uma retração no país.

De acordo com o último levantamento realizado (no mês de agosto), o consumo chegou agora a 27,9%, o número é o menor observado desde que a pesquisa começou a ser feita, há cerca de 8 anos.

Índice de consumo de produtos piratas no Brasil atinge baixa histórica – veja

download enter button key

Para se ter uma ideia do declínio da pirataria, em 2006, no primeiro levantamento realizado, o índice era de 42,1%. Desde 2012, contudo, as taxas vem sendo reduzidas, mantendo-se sempre abaixo da média de 42,3% que é considerada histórica.

Leia também:

Apesar da acentuada queda do índice nesses últimos anos, não se pode dizer que o panorama no país esteja exatamente próximo do ideal. Isso porque, segundo levantamento feito pelo Fecomércio RJ/Ipsos, o consumo de produtos piratas ainda é uma realidade para 40,4 milhões de pessoas no Brasil.

Além disso, Christian Travassos, economista da Fecomércio, concedeu recentemente algumas declarações que aventam a hipótese de a redução no consumo de bens físicos piratas estar em parte relacionada com o aumento da pirataria no ambiente online.

“A pesquisa deste ano traz basicamente uma boa notícia e um alerta. A boa notícia é que a pirataria física, aquela que nós brasileiros nos acostumamos a presenciar em ruas e praças de centros comerciais pelo país, está em baixa. Isso é muito bom sob o ponto de vista da segurança pública e do ordenamento urbano. Agora, a migração da pirataria física para a Internet exige que novas ferramentas de controle na Web sejam desenvolvidas e que a legislação acompanhe a velocidade com que esse movimento ocorre. Do contrário empresas, governos e sociedade continuarão a ter prejuízos pela ação desse mercado paralelo”, disse.

Apesar de todo esse cenário e das declarações do economista, vale ressaltar que o consumo de CD’s e DVD’s ainda lidera o ranking de itens piratas mais consumidos no Brasil. Os índices são de 59,9% e 64,1% respectivamente.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: