Topo

Aposentadoria planejada: Três caminhos para se aposentar com segurança.

Comente

A aposentadoria é o objetivo da grande maioria dos trabalhadores, mas também algo que está cada vez mais distante. Há algumas décadas atrás, quando os direitos trabalhistas começaram a se consolidar, o processo de aposentadoria era mais simples e lucrativo. Mas, com um aumento exponencial na quantidade de pessoas que vivem por muitos anos depois que param de trabalhar, os governos começaram a pensar em medidas para evitar a falta de dinheiro para o pagamento destes benefícios. 

No Brasil, a aposentadoria pode ser considerada como um sonho cada vez mais distante, especialmente da vida dos brasileiros que trabalham de forma independente, seja como empresários ou autônomos. Pesquisas recentes afirmam que seis em cada dez brasileiros admitem que não se preparam para parar de trabalhar. Além disso, outros estudos afirmam que 39% da população não conseguiria, hoje, arcar com imprevistos, e 20% das pessoas sequer sabem o tempo em que manteriam seu padrão de vida atual caso enfrentassem alguma dificuldade. 

Estas informações são importantes justamente para acender um sinal de alerta naquelas pessoas que ainda não pensam no seu futuro. É importante pensar em como vai se manter quando a melhor idade chegar e as oportunidades profissionais se tornarem mais escassas. Especialmente devido ao aumento da expectativa de vida. 

Aposentadoria planejada: Três caminhos para se aposentar com segurança.

Confira alguns caminhos que podem ser seguidos por quem deseja planejar a sua aposentadoria:

Previdência privada ou complementar

Veja também:

Uma das formas de guardar dinheiro para aposentadoria é fazer um plano de previdência privada ou complementar. Na verdade, trata-se de uma forma de investimento como qualquer outra, mas que possuem algumas garantias extras e características pensadas em garantir uma renda a longo prazo. 

A partir da contratação de um determinado plano, as pessoas precisam fazer depósitos mensais ao longo de um determinado tempo. Ao final do período, as pessoas podem optar em resgatar o valor total acumulado junto com o rendimento ou então solicitar o recebimento de uma renda mensal, de acordo com a cobertura. No caso do falecimento do segurado, os recursos não entram no inventário e são direcionados para os herdeiros de forma automática, algo parecido com que acontece no INSS nos dias de hoje. 

Dentre os cuidados necessários no momento de escolher uma previdência privada, é fundamental que as pessoas contratem em uma empresa segura, como os bancos grandes, para reduzir a chance da empresa quebrar. Além disso, também é importante contratar um plano com parcelas que caibam no bolso das pessoas. 

Fundos imobiliários

Uma das formas de garantir uma renda no futuro é adquirir bens imobiliários, recebendo aluguéis. Mas para a grande maioria das pessoas é complicado conseguir acumular dinheiro suficiente para comprar casas ou apartamentos apenas para investir. Para facilitar a vida de quem pensa em ganhar dinheiro com este tipo de operação existem os chamados fundos imobiliários. 

Eles são caracterizados como sendo um tipo de investimento no qual o comprador se torna sócio de imóveis como galpões logísticos, lajes corporativas, shopping centers, agências bancárias, hospitais, universidades, hotéis e imóveis residenciais. Assim, ele recebe uma parcela dos aluguéis ou do lucro sobre as construções desses bens.

Os fundos imobiliários contam com algumas vantagens interessantes, sendo uma das principais a liquidez, que seria a facilidade de converter as cotas em dinheiro se a situação da pessoa ficar um pouco apertada. Além disso, os rendimentos deste tipo de fundo costumam ser pagos mensalmente, gerando uma renda que ficará já disponível para aquele que adquiriu sua cota. 

Tesouro IPCA

Uma outra forma de investimento muito interessante, focado especialmente nas pessoas que estão querendo uma renda a longo prazo. Este tipo de tesouro conta com os seus rendimentos diretamente atrelados à taxa de juros. Dessa forma, ele se torna menos suscetível a perda de poder de compra que é causada especialmente pela inflação, o que acaba se tornando o maior risco para quem pensa em um investimento a longo prazo. 

Ao adquirir um título do Tesouro IPCA, o investidor receberá o equivalente ao IPCA mais uma determinada taxa de rentabilidade adicional acumulada anualmente. Essa é uma forma de garantir que o dinheiro tenha um rendimento maior do que a inflação oficial, protegendo sua rentabilidade. 

Em relação aos custos, o tesouro IPCA é tributado pelo IR de forma regressiva e a partir de dois anos da data da aplicação, é cobrada uma taxa de 15% sobre os rendimentos obtidos. Além disso, será cobrada uma taxa anual de 0,25% sobre o montante investido pela custódia na Bolsa de Valores. Para começar a fazer este tipo de investimento, as pessoas precisam abrir uma conta em corretora autorizada pelo Tesouro Nacional. Mas, nos dias de hoje, muitos bancos, até mesmo os digitais, oferecem este tipo de serviço de uma forma simples e descomplicada. 


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: