Topo

Coisas que no passado eram comuns entre puritanos e hoje soam como bizarras

Comente

Ao longo dos meses, já falamos aqui em nosso blog de conteúdo bizarro a respeito de diversos costumes estranhos cultivados em países ao redor do mundo e até sobre os costumes dos brasileiros que podem parecer bizarros para os gringos.

Mas hoje o assunto vai além: a seguir você confere algumas coisas que no passado eram comuns entre os puritanos e que hoje soam como bizarras para a maioria das pessoas. Veja!

Costumes inusitados que foram comuns entre puritanos do passado

Dedais em vez de anéis

Dedais em vez de anéis

As mulheres puritanas usavam um dedal como se fosse uma espécie de anel enquanto eram solteiras. Esse dedal facilitava suas vidas na realização de alguma tarefa doméstica proporcionando proteção aos dedos. Quando as mulheres se casavam elas cortavam o dedal para que ficasse parecido com um anel.

Punição

punicao

Qualquer um que cometesse um pedado no passado era considerado pelos puritanos como uma pessoa má. Nesse caso não havia prisão para a pessoa, mas para que todos soubessem que ela era pecadora, ela tinha que usar uma letra para identificar o seu erro, como por exemplo, A de adultério e B de blasfêmia. Vale dizer que em alguns lugares essa punição era mais severa e a letra era marcada no corpo com ferro quente.

Erotismo

Erotismo

Qualquer tipo de música, teatro ou poesia que tivesse algum conteúdo sexual era automaticamente proibido pelos puritanos do passado. A lista de punições cabíveis incluía cadeia e até morte para quem olhasse ou fizesse algum material proibido. Por isso a igreja incentivou a criação de músicas, poesias e teatros com conotação religiosa.

Leia também:

Natal proibido

Natal proibido

Na colônia de Massachusetts Bay, 1659, ninguém podia comemorar o natal, pois era algo proibido. Segundo eles a prática havia sido adquirida com o tempo e não era algo religioso. Além do mais, os puritanos acreditavam que a comemoração do natal era uma blasfêmia.

Punição por sangramento

Punição por sangramento

Acredite se quiser, mas os puritanos usavam os copos das vítimas para de assassinato para tentar “descobrir” o autor do crime. Para isso eles faziam com que o suposto assassino tocasse o copo da vítima, se houvesse alguma reação como sangramento ou algum movimento por parte do cadáver, a pessoa era considerada culpada.

O caso mais famoso desse tipo de julgamento foi de Mary Martin, que após ter matado seu filho bastardo recém-nascido acabou sendo julgada e culpada por esse tipo de ritual. Que coisa.

Lei para se vestir

Lei para se vestir

Até onde se sabe, os estados americanos Massachusetts e Connecticut, criaram no passado algumas leis inusitadas sobre o jeito de se vestir. Segundo a lei, ninguém poderia usar muitas joias ou roupas luxuosas para mostrar que era de classe social alta.

Espionagem ao vizinho

Espionagem ao vizinho

Nessa época o fato de uma pessoa espionar o vizinho era considerado um dever cristão. A ideia era a de que, em meio a uma sociedade tão conservadora, os vizinhos conseguissem cuidar da vida dos outros de modo que muitos pecados acabassem indo à tona.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: