Topo

Desvende os mitos mais comuns sobre o universo da tecnologia

5.00 / 5 - 1
Comente

Em pleno século XXI, informação é tudo o que não tem faltado, não é verdade? Seja pela internet ou pelos inúmeros outros meios de comunicação, o fato é que a informação circula hoje em uma velocidade impressionante, fazendo com que cada vez mais pessoas tenham acesso a ela.

Apesar disso, no entanto, com esse turbilhão de conhecimento que vem sendo despejado constantemente sobre nós, o cuidado para discernir entre o que é verdadeiro e o que é falso tornou-se mais do que nunca indispensável.

Uma das vertentes que mais sofrem com o excesso de informações falsas, por exemplo, é a da tecnologia. Isso se dá principalmente porque os avanços na área acontecem de forma absolutamente dinâmica, o que acaba dificultando a vida do cidadão comum que nem sempre tem acesso a todas as novidades.

Conhecendo esse cenário, portanto, decidimos apresentar na sequência uma série de mitos do mundo da tecnologia para exemplificar o quão embaraçosas podem ser determinadas informações. Você vai se surpreender com os itens da lista. Confira!

A verdade por trás dos maiores mitos sobre o mundo da tecnologia

Os maiores mitos sobre o mundo da tecnologia

Só se deve recarregar bateria do celular depois que ela acaba?

Antigamente as baterias dos aparelhos eram de níquel cádmio, que por sua vez sofriam com o efeito de memória. A consequência disso é que elas ficavam viciadas facilmente, por isso era necessário dar um “banho de carga” ao adquirir o aparelho e esperar descarregar totalmente para só então colocá-lo para carregar novamente.

Na atualidade esse cenário mudou, as baterias de hoje são de íon de lítio, que podem ser recarregadas a qualquer momento. Vale ressaltar ainda que com isso o usuário também pode usar o aparelho enquanto conectado à tomada sem maiores problemas.

É preciso considerar, no entanto, que com o desgaste natural do tempo elas possam acabar descarregando mais rápido depois de muito uso, mas isso não significa que ficaram viciadas ou com o efeito memória.

Leia também:

Pode usar o notebook sempre ligado na tomada sem problemas?

Assim como as baterias dos celulares mais recentes, os notebooks também possuem baterias de íons de lítio. Isso não significa, no entanto, que o usuário pode deixar de lado as precauções com o uso do aparelho.

Se você é uma das pessoas que pensam que usar o notebook sempre ligado à tomada pode ser algo positivo para o aparelho, por exemplo, lamentamos lhe desapontar. Segundo especialistas o uso do laptop conectado à tomada pode na verdade reduzir o tempo de vida útil da bateria.

Isso acontece porque no caso o computador está recebendo calor tanto em função de seu funcionamento quanto em decorrência do processo de carregamento da bateria, o que acaba aumentando o desgaste da mesma.

É importante dizer, no entanto, que determinadas fabricantes já conseguiram contornar esse problema. A Dell, por exemplo, dispõe de um mecanismo que não permite que o aparelho superaqueça quando a bateria está sendo carregada, ainda que venha a completar a carga.

Os sistemas Linux e Mac não pegam vírus?

Quando você conversa com um amigo que tem um computador Linux ou Mac e acaba mencionando que o seu PC pegou vírus, lá vem ele dizer como o Mac e o Linux são são sistemas seguros, que não pegam vírus, que não dão problemas e por aí vai. O fato, porém, é que isso é um mito, infelizmente não existe nenhum sistema totalmente imune aos vírus.

O que ocorre é que os sistemas Mac e Linux são de certa forma menos propensos a infecções por malware por uma série de fatores. A lista inclui a estrutura de arquivos diferenciada e também as autenticações necessárias para alterações em pastas e arquivos sistemas.

Isso sem contar que o fato desses sistemas terem uma base de usuários infinitamente menor que a do Windows, os tornam menos atraentes para os cibercriminosos que desenvolvem vírus para atacar os sistemas.

Esvaziar a lixeira é o bastante para ter os arquivos removidos permanentemente?

A verdade é que não. Quando pressionamos “SHIFT + DEL” (para excluir definitivamente um arquivo), ou quando o excluímos diretamente da lixeira, esse arquivo ainda pode ser recuperado. Isso acontece porque o sistema apenas apaga a ligação que existia entre aquele arquivo e o espaço que ele possuía no dispositivo.

Nesse caso, por incrível que pareça o arquivo fica apenas oculto no sistema, cedendo assim a outro arquivo o espaço que ocupava anteriormente. Devido a isso, se outro arquivo ainda não tiver sobreposto o espaço que o arquivo excluído ocupava no disco, é possível recuperá-lo utilizando determinados programas orientados a esse objetivo.

Em todo caso, também existem programas que são capazes de eliminar por completo o arquivo do sistema. Nesse caso eles agem de modo a identificar o local do arquivo, apagando-o em seguida e sobrescrevendo o espaço dele com outros arquivos do sistema.

Navegar em aba anônima assegura total privacidade?

Não. Apesar de muita gente optar pela navegação anônima visando manter a privacidade da conexão, o fato é que isso só garante que o histórico dos acessos feitos não será armazenado no browser (navegador).

Isso significa que ao acessar a internet por uma janela privada você impede que outras pessoas saibam o caminho percorrido na internet por meio daquele navegador específico. Apesar disso, porém, a sua identidade (número de IP) não é ocultada dos sites visitados.

Um imã perto do notebook pode apagar os dados do aparelho?

Não. Apesar de muita gente acreditar que um imã perto do computador pode resultar em interferência e eventual perda dos dados existentes na máquina, o fato é que isso não é verdade. Até mesmo os famosos imãs de geladeira podem ficar perto de um computador sem problema algum.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: