Topo

Você sabia? Todo ano cada avião é atingido por raios pelo menos uma vez

Comente

Se você é uma das pessoas que “morrem” de medo de raios e faz de tudo para evitar os riscos nos momentos de tempestade, é provável que também domine pelo menos algumas estratégias que ajudam a sobreviver a essas descargas elétricas em caso de necessidade certo?

Mas e se o raio atingir o avião em que você se encontra, você tem uma noção do que acontece? Pois bem, mesmo que sua resposta a essa última pergunta seja não, o fato é que não há motivos para preocupação.

Segundo levantamento feito pelo “Quartz” todas as aeronaves são atingidas por raios em pleno voo pelo menos uma vez por ano, no entanto, quando isso ocorre elas não sofrem praticamente nada.

Entenda como os aviões são atingidos por raios pelo menos uma vez por ano e não caem

aviao-atingido-por-raio-uma-vez-por-ano

Segundo especialistas, quando os aviões modernos são projetados as equipes contam com um engenheiro responsável por certificar-se de que os sistemas elétricos, equipamentos e combustível estão totalmente protegidos das descargas elétricas de cerca de 30 mil amperes de força que compõem os raios.

Devido a esse cuidado na fabricação das aeronaves, quando a descarga as atinge em pleno voo a eletricidade simplesmente percorre a fuselagem de alumínio do veículo por fora e sai pela outra extremidade do mesmo.

Leia também:

No fim das contas a proteção dos aviões mais modernos é tamanha que quando são atingidos por raios os passageiros sequer se dão conta do ocorrido e os únicos danos observados nesses casos são algumas marcas escuras que ficam na tintura do veículo aéreo.

Historicamente, o último registro de uma aeronave que caiu nos Estados Unidos por ter sido atingida por um raio foi de um voo de 1967, ou seja, há quase 50 anos.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: