Topo

Coisas que parecem comuns mas podem ser prejudiciais à saúde

Comente

Com a enorme quantidade de informações que se tem à disposição na atualidade, muita gente vem se atentando para a importância de se manter uma alimentação saudável e praticar exercícios regularmente.

Infelizmente, porém, embora tudo isso seja também importante, existe ainda uma série de coisas que podem ser prejudiciais à saúde e muita gente nunca ficou sabendo. E não estamos falando aqui de vícios ou hábitos restritos a apenas algumas pessoas.

Na verdade a lista inclui até características físicas que não podem ser alteradas e coisas que a grande maioria faz naturalmente como se fosse algo comum.

E se você ainda não entendeu exatamente do que se trata isso, fique tranquilo, a seguir apresentamos alguns exemplos com base em informações coletadas na maioria das vezes por pesquisadores e que ganharam destaque em noticiários ao redor do mundo. Veja!

Veja coisas que parecem ser comuns mas podem trazer danos

Cruzar as pernas

Cruzar as pernas

Cruzar as pernas à altura dos joelhos depois de sentar é um costume bastante comum entre as mulheres. O fato, porém, é que esse simples hábito pode causar um aumento na pressão arterial sistólica e diastólica em 7% e 2% respectivamente.

De acordo com especialistas, isso ocorre porque o movimento tende a exercer pressão sobre as articulações do quadril, o que poe resultar em um acúmulo de sangue nas pernas quando as veias estão comprimidas. Para evitar o problema, especialistas aconselham evitar ficar de pernas cruzadas por período superior a 10 minutos.

Leia também:

Dormi de barriga para baixo

Dormi de barriga para baixo

Muita gente costuma dormir de barriga pra baixo, no entanto, especialistas alertam que esse hábito tende a deixar o pescoço em uma posição inclinada pra trás, o que pode ocasionar dor ou dormência nas extremidades superiores, que é causada por uma possível compressão na área devido à posição da cabeça.

Usar cinto muito apertado

Usar cinto muito apertado

O uso de um cinto apertado pode causar bem mais que o incômodo na parte externa. Especialistas afirmam que esse hábito pode trazer também problemas digestivos. Isso porque o cinto apertado cria uma pressão intra-abdominal que pode acabar causando refluxos ácidos.

Os sintomas desse problema podem ser leves, manifestando-se como um gosto amargo na boca, mas também se apresentar como queimação e dor no peito ou na região superior do estômago, podendo ainda até causar tosse crônica e dificuldade para engolir.

Dirigir por muito tempo sem parar

Dirigir por muito tempo sem parar

Dirigir por muito tempo sem pausa também pode resultar em um problema parecido com aquele causado pelo hábito de cruzar as pernas por muito tempo.

Nesses casos há a possibilidade de acúmulo de sangue nas pernas, o que pode causar coagulação. Depois de dirigir cerca de 150 km, o melhor é parar um pouco o carro e caminhar para melhorar o fluxo sanguíneo e reduzir os riscos de uma eventual inflamação.

Alongamento ao acordar

Alongamento ao acordar

Para quem gosta de alongar e esticar o corpo depois de acordar, há também um alerta: os discos da coluna vertebral ficam lubrificados durante a noite, criando uma pressão sobre eles ao despertar. Isso faz com que o corpo fique mais propenso ao estresse.

O ideal nesse caso é realizar pequenas atividades e se alongar por dez minutos antes de iniciar os exercícios.

Calvície masculina

Calvície masculina

Saiba que a calvície masculina e o câncer de próstata podem estar relacionados. Segundo informações, um estudo realizado nos EUA fez um teste com 4.000 homens de todas as idades e descobriu que os carecas registravam um aumento significativo nos índices de câncer de próstata.

Os homens calvos possuíam chances de morte por câncer de próstata durante um período de 21 anos cerca de 56% maiores que os demais. Já os homens com calvície moderada tinham cerca de 83% mais chances de desenvolverem câncer do que os cabeludos.

Dedos e esquizofrenia

Dedos e esquizofrenia

Se ao olhar para seu dedo indicador da mão direita uma pessoa perceber que ele é maior do que o anelar, as notícias podem não ser tão boas. Isso porque um estudo feito mostrou que pessoas com essas características possuem chances maiores de sofrer com esquizofrenia.

Para chegar a esse resultado os pesquisadores mediram as mãos de mais de cem pacientes do sexo masculino com esquizofrenia e depois compararam o dedo de vários homens sem a doença.

Pessoas baixinhas

Pessoas baixinhas

E olha só, por essa você não esperava, não é? Informações sugerem que depois de estudar cerca de 200.000 pessoas, pesquisadores da British Heart Foundation teriam constatado que, para cada 3 centímetros a mais que uma pessoa tem de altura, a chance de ter doença coronária cai em 13,5 por cento.

Apesar de tudo, o estudo não chegou a especificar qual seria a idade mínima aceitável.




Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: