Topo

Pix: Saiba tudo sobre essa nova forma de realizar a receber pagamentos

Comente

Entrou em vigor no último dia 16 de novembro em todo o Brasil, um novo sistema de pagamento e recebimento de dinheiro que promete mudar a forma como as pessoas realizam este tipo de transação no dia a dia.  Em um mundo cada vez mais tecnológico, muitas pessoas passam semanas, até meses, sem precisar lidar diretamente com o dinheiro em espécie, como estávamos acostumados. 

Isso porque a grande maioria das transações financeiras que são feitas hoje em dia podem acabar sendo realizadas através de alguma forma eletrônica de pagamento. Por exemplo, grande parte dos estabelecimentos comerciais nos dias de hoje aceitam pagamentos através de cartão de crédito ou de débito, independentemente do valor.

Mas as transações eletrônicas estão mais presentes no nosso dia a dia. Com os aplicativos de bancos, por exemplo, as pessoas conseguem realizar boa parte dos pagamentos das suas contas diretamente pelo celular, sem qualquer tipo de problema. Até mesmo nos meios de transporte público das principais cidades as passagens podem ser pagas com cartões específicos para isso, que podem ser carregados com outros cartões, como de crédito, ou de transferência bancária. 

Veja também:

Mas, mesmo com toda essa tecnologia, um tipo de transação eletrônica ainda estava demorando mais do que deveria: a transferência de valores entre contas. Normalmente as pessoas contavam com algumas opções, como o DOC ou o TED, mas o tempo mínimo de espera da compensação do método mais rápido levava 30 minutos, isso em horário comercial. Ou seja, nada de transferências no mesmo dia em finais de semana e depois de uma certa hora da noite.

Foi pensando justamente em solucionar este problema que foi criado o Pix, um sistema que agora passa a fazer parte do dia a dia dos brasileiros.

Pix: Saiba tudo sobre essa nova forma de realizar a receber pagamentos

Saiba mais sobre essa forma de enviar e de receber pagamentos:

O que é o Pix?

O Pix é um novo sistema de transferência eletrônica criado e gerenciado pelo Banco Central do Brasil, em parceria com empresas de tecnologia que foram contratadas para o desenvolvimento de fato da solução. A ideia é permitir que um dinheiro saia de uma conta corrente e entre em uma outra conta rapidamente, com tempo médio de 10 segundos. Além desta vantagem, o sistema promete ser gratuito para os usuários. 

Como o Pix funciona no momento de realizar um pagamento?

Primeiramente, é importante salientar que o Pix não é uma conta, apenas uma forma de transferência. Por isso, todo mundo que deseja utilizar o sistema terá que ter uma conta em um banco. Pode ser também uma conta em instituição financeira digital, desde que ela esteja cadastrada no Pix. Praticamente todas as instituições financeiras de grande porte se habilitaram. 

Dentro de cada banco, geralmente no aplicativo da conta, as instituições financeiras criaram uma área exclusiva para o Pix. Neste local, os usuários poderão cadastrar uma chave, que será a informação que precisará ser dada para quem deseja fazer um determinado pagamento. Será possível cadastrar mais de uma chave, mas o mesmo tipo de chave não poderá ser utilizado em mais de uma instituição financeira, com exceção da chave aleatória. 

No momento da inscrição, os clientes poderão escolher um entre quatro tipos de chaves diferentes: CPF, número de telefone celular, e-mail ou chave aleatória. Ao cadastrar qualquer uma destas chaves, elas estarão vinculadas aquele usuário e aquela conta.

Por exemplo, digamos que Fulano da Silva tenha uma conta no Banco Nacional, agência 12345 e conta 0004455. Ele escolheu o número do seu celular como chave. Ao informar o número do celular para receber o pagamento, para o pagador será preciso digitar apenas o telefone, não sendo necessário confirmar o nome completo, nem o número da agência, conta ou banco. 

As chaves não dão acesso a informações sigilosas de quem está recebendo o pagamento, apenas o suficiente para confirmar a transação. O pagador vai digitar a senha da sua conta e, em 10 segundos, o dinheiro vai passar de uma conta para a outra. 

Quem pode usar o Pix?

De acordo com as informações que foram divulgadas pelo Banco Central, qualquer pessoa física ou qualquer empresa poderá utilizar o serviço, desde que tenha uma conta corrente devidamente cadastrada nas instituições financeiras que receberam a autorização para operar o sistema. De acordo com o Banco Central, 734 instituições terão o PIX disponível para toda a base de clientes a partir do dia que marco o início oficial das operações. 

Como fazer um pagamento através do QRCode?

Uma outra solução que também será disponibilizada para as empresas e que está diretamente relacionada ao sistema Pix é a possibilidade do pagamento através do QRCode. Para isso, no momento da compra, o lojista deve exibir um QRCode, que pode aparecer na tela do terminal de pagamento ou da maquininha de cartão. Basta apontar a câmera do celular para ler o código e realizar o pagamento. 

O Pix é seguro?

Diante de uma nova tecnologia, muitas pessoas costumam desconfiar da segurança. O Banco Central afirma que o sistema precisa de uma segurança redobrada para não se tornar suscetível a fraudes. O BC disse que o sistema conta com um sistema de segurança próprio para o Pix, além de revisar uma regra sobre restituição de valores transferidos por suspeita de fraude. Se houver algum comprovação de crime, será possível fazer reembolso sem autorização da pessoa que recebeu o depósito.




Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: