Topo

LGBT em séries: conheça obras que dão espaço à diversidade na telinha

Comente

A enorme quantidade de bons seriados lançados nos últimos anos, tem levado muita gente a considerar esse período recente como uma espécie de “era de ouro” das séries de TV, o que é absolutamente compreensível.

Com obras de qualidade cada vez mais elevada e até comparável à do cinema, o cenário das séries é absolutamente favorável à exploração dos mais variados temas na telinha, e o que se vê hoje é exatamente isso: séries abordando praticamente todas as temáticas, incluindo aquelas de cunho social, como por exemplo, a LGBT.

Essa questão fica evidente quando observamos o crescente número de séries recentes que trazem personagens homossexuais e até que abordam a raiz dos problemas relacionados ao preconceito contra a diversidade sexual.

A lista inclui obras com o mais alto padrão de qualidade e importância ímpar na luta pela igualdade dos gêneros. E para ilustrar isso, portanto, apresentamos a seguir uma relação com algumas das grandes produções recentes que se encaixam nesse contexto. Veja!

As séries de TV que abordam ou já abordaram a temática LGBT

Orange is the New Black

Orange is the New Black

Vencedora de prêmios importantes para o Netflix, “Orange is the New Black” é sem dúvida uma das séries mais badaladas da atualidade. A trama gira em torno da vida de Piper Chapman (Taylor Schilling), uma mulher de Nova York que é condenada a 15 meses numa prisão federal feminina devido a tráfico de drogas.

Noiva de Larry Bloom (Jason Biggs), a personagem acaba encontrando na prisão sua ex-namorada, Alex Vause, que seria a culpada por sua prisão.

Leia também:

Modern Family

Modern Family

No ar há 7 temporadas, a série logo em seu episódio piloto retrata de forma divertida a vida de um casal homossexual – Mitchell (Jesse Tyler Ferguson) e Cameron (Erick Stonestreet), que quer adotar um bebê.

No decorrer da temporada, as relações e laços de família são aprofundados e com a ajuda de um bom roteiro a comédia se tornou uma das queridinhas do público.

Gracie and Frankie

Gracie and Frankie

Apontada por muitos como uma das melhores séries de drama familiar da atualidade, a série traz à tona a história de duas mulheres que já na terceira idade descobrem que seus respectivos maridos decidiram assumir a homossexualidade. Elas que nunca se tornaram amigas, se veem forçadas a se unir de alguma maneira para encarar a situação.

Queer as Folk

Queer as Folk

Essa é uma adaptação norte-americana de uma série inglesa homônima. A trama gira em torno de cinco jovens homossexuais e aborda assuntos relacionados a gays, lésbicas, travestis e todo o contexto do mundo LGBT. A série tem o mérito de mostrar de maneira delicada os desafios dos relacionamentos com a família, adoção feita por casais gays, trabalho, e muito mais.

Glee

Glee

Considerada uma das séries mais famosas dos últimos anos, “Glee” trouxe à tona uma trama em torno de um grupo de cantores que mesmo sofrendo bullying se ampara na confiança para sobreviver ao preconceito e questões do gênero em pleno Ensino Médio. Na trama os gays conseguem deixar claro que a homossexualidade é bem mais que uma fase.

Will and Grace

Will and Grace

Finalizada com 8 temporadas, a série que foi criada em 1998 tornou-se uma das mais premiadas no Emmy Awards. Ao todo foram 16 prêmios recebidos e surpreendentes 83 indicações na premiação.

A trama gira em torno da vida de Will (Eric Mc Cormack) e Grace (Debra Messing), eles são melhores amigos e dividem apartamento, passando por diversas situações no mínimo, engraçadas.

Apesar de os protagonistas serem interessantes, no entanto, eles as vezes se mostram muito convencionais, por isso quem acaba roubando a cena mesmo são os dois amigos coadjuvantes, Jack (Sean Hayes) Karen (Megan Mullally). Embora em doses menos evidentes que em outras séries dessa lista, a temática LGBT está lá presente na trama.

Looking

Looking

Produzida pela aclamada HBO, a série apresenta uma trama em torno da vida de um designer de videogame chamado Patrick (Jonathan Groff), um artista de nome Agustín (Frankie J. Alvarez) e do garçom Don (Murray Barlett). O enredo traz um grupo de amigos que procuram aproveitar o que São Francisco tem a oferecer à nova geração de homens gays.

The New Normal

The New Normal

Depois de fazer sucesso com os personagens gays de “Glee”, Ryan Murphy chegou trazendo a “The New Normal”, uma comédia que gira em torno da vida de David (Justin Bartha) e Brian (Andrew Rannells). Na trama eles decidem contratar uma mãe de aluguel para conseguir ter um bebê.

Dentro desse cenário, os dois acabam tendo que conviver com a família da moça escolhida como genitora da criança, o que inclui até mesmo uma avó preconceituosa. A obra acabou sendo cancelada após uma primeira temporada de 22 episódios, mas é uma das produções que ousaram em aprofundar a temática.

The L Word

The L Word

E essa foi uma das séries pioneiras na abordagem do tema focado em garotas lésbicas ou bissexuais. A série, que estreou em 2004, trouxe à tona uma trama em torno do casal Bette (Jennifer Beals, de Flashdance) e Tina (Laurel Holloman), que recorre à inseminação artificial para ter um bebê, em uma tenista chamada Dana (Erin Daniels), que busca forças para assumir sua sexualidade, e na escritora Jenny (Mia Kirschner), que embora se sinta atraída por Marina (Karina Lombard) e Alice (Leisha Hailey), possui um namorado.

Dante’s Cove

Dante's Cove

Dona de uma trama com boa dose de fantasia e elementos sobrenaturais, “Dante’s Cove” traz uma história envolvente e bastante enigmática. Na série, a bruxa Grace (Tracy Scoggins) encontra o noivo Ambrosius (William Gregory Lee) em momento de intimidade com o mordomo, pelo que, lança uma maldição sobre o mesmo.

Como resultado disso ele é condenado a passar a eternidade no porão, um feitiço que só pode ser quebrado com o beijo de um jovem. Além do enredo, a lista de atrativos da série para o público LGBT inclui cenas de homens sarados, nu frontal e boa dose de sexo.

Noah’s ARC

Noah's ARC

Seguindo a tendência de outras séries do gênero, a trama de “Noah’s ARC” se foca nas relações de um grupo de amigos gays afrodescendentes ou latinos. A história traz à tona algumas importantes questões relacionadas ao preconceito e questões relacionadas à luta pela causa LGBT.

True Blood

True Blood

E aqui temos mais uma obra com boa carga de fantasia. Embora sua trama gire em torno de vampiros e monstros, a série consegue focar com bastante realismo no mundo gay, abordando de forma bem-sucedida questões relacionadas a temas como religião e sexo.

It’s All Relatives

It's All Relatives

Com um plot bastante original, a série consegue transitar entre duas realidades distintas. A trama traz um garoto um tanto quanto homofóbico que acaba se apaixonando por uma garota que é filha adotiva de um casal gay de classe média alta. Diante desse cenário, o jovem acaba sendo conduzido a lidar com as questões relacionadas à sua visão de mundo e família.

Sense 8

Sense 8

E por fim temos aqui uma série de 2015 que, apesar ter um roteiro fraco, que peca a todo instante contra a verossimilhança, “Sense 8” ao menos merece crédito pela forma ousada com que apresentou a temática LGBT.

A obra, que é posicionada na vertente de ficção científica, erra em muitos aspectos, mas acerta em cheio na hora de retratar os medos, anseios e lutas daqueles que abraçam a causa LGBT.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: