Topo

Relembre as maiores polêmicas em torno de aplicativos lançados nos últimos anos

Comente

Ninguém tem dúvida de que a tecnologia chegou pra mudar o mundo e a forma que vivemos, certo? Mas até que ponto a criatividade e a tecnologia podem evoluir sem entrar em conflito com determinados paradigmas enraizados a sociedade como um todo ou em determinados grupos sociais?

Pois bem, essa segunda questão não é tão simples de ser respondida. E o que pode ilustrar bem isso é que nos últimos anos não foram poucos os aplicativos que deram o que falar em função do conceito apresentado.

O exemplo mais recente, no Brasil, por exemplo, talvez seja o Uber, que vem incomodando os taxistas em determinadas regiões do país e transformando uma das vertentes do transporte urbano em motivo de polêmica. Mas esse está longe de ser o único app dentro desse contexto, a seguir você confere uma lista detalhada com esse e outros casos comuns.

Veja alguns dos aplicativos polêmicos que já surgiram nos últimos anos

Uber

Uber

Conforme mencionado na introdução, o Uber é provavelmente o mais recente exemplo de app que acabou causando polêmica por aqui. A ferramenta disponibiliza um serviço de motoristas particulares que concorre diretamente com os taxistas, oferecendo carros mais novos e preços mais competitivos.

Isso incomodou a classe dos taxistas, que desde que o app iniciou as atividades em algumas das cidades brasileiras têm se mobilizado em manifestações e até ações consideradas ostensivas na tentativa de coibir a continuidade do serviço.

Diante do imbróglio, o Uber já chegou até a ser proibido em São Paulo, mas foi permitido de novo. A certeza que fica é a de que essa história pode dar muito o que falar ainda.

Leia também:

Lulu

Lulu

Lançado há dois anos no Brasil, o Lulu se tornou febre entre as mulheres por ser de uso exclusivo da ala feminina e permitir às usuárias a avaliação dos homens com os quais haviam saído.

O conjunto de benefícios, contudo, incomodou muitos homens e por isso o aplicativo se tornou alvo de processo, sendo retirado do ar em 2014. O serviço passou por algumas reformulações e a expectativa é a de que ele logo esteja disponível novamente, mas dessa vez embora voltado ainda às mulheres, terá também algumas funcionalidades para os homens.

Secret

Secret

Também lançado há dois anos no Brasil, a ideia do Secret era possibilitar aos usuários a publicação anônima do que bem entendesse. Apesar de a ideia ser interessante, o aplicativo, a exemplo de muitos outros que oferecem o anonimato, se tornou um “prato cheio” para a propagação de discursos de ódio e “bullying virtual”.

Devido a isso o serviço foi proibido em determinados estados brasileiros, e pra acabar de vez com a polêmica o próprio desenvolvedor optou por descontinuar o serviço pouco tempo depois.

Bang With Friends / Down

Bang With Friends / Down

Apresentado inicialmente como um app para o Facebook, o serviço oferecia aos usuários a possibilidade de marcar com quais pessoas da lista de amigos na rede social ele aceitaria ter um encontro sexual, mas não parava por aí.

Com o app o usuário também podia ver quais amigos de sua lista também o haviam marcado como “interessante” para um eventual encontro sexual. Graças a essas possibilidades, você pode imaginar que a facilidade em “arranjar” um encontro com alguém do próprio círculo de amizade aumentou bastante, certo?

Apesar de a ideia ser excelente, o aplicativo não escapou das polêmicas. Os problemas, contudo, começaram quando uma falha de segurança acabou permitindo que os usuários da rede social ficassem sabendo quais de seus amigos estavam no serviço.

Depois disso o serviço fez algumas modificações, passou a se parecer mais com o Tinder e mudou para as plataformas iOS e o Android, adotando então o nome de “Down”.

Rastreador de namorado

Rastreador de namorado

O aplicativo surgiu trazendo uma tentadora proposta para as ciumentas: “Faça seu namorado levar um espião no bolso”. Uma vez instalado no smartphone do namorado, o serviço pode ser configurado para enviar para outro smartphone as atividades do dispositivo em que se encontra.

Entre as informações que ele promete enviar, estão “cópia de SMS” e “registro de chamadas”, e isso sem contar que ele ainda se diz capaz de enviar a localização exata do dispositivo para o número configurado, tudo isso sem que o dono do aparelho fique sabendo.

Na descrição ele até informa que a instalação deve ser feita somente com consentimento do dono do aparelho, mas cá entre nós, tem gente ciumenta que não ia gostar da ideia de esperar autorização para “espionar” o namorado, não é verdade?

Devido às polêmicas levantadas o app foi banido da loja do Google, mas pesquisando um pouco ainda é possível encontrá-lo na web.




Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: