Topo

6 coisas que os pais não devem fazer para ajudar na autonomia dos filhos

Atitudes dos adultos podem acabar prejudicando a capacidade dos filhos adultos de tomar decisões.
Publicidade
Comente

Autonomia é uma característica fundamental para qualquer ser humano. Ela basicamente indica a capacidade que uma determinada pessoa acaba tendo de encarar e resolver os problemas que se apresentam no cotidiano de forma autônoma e independente, ou seja, sem depender completamente da ação de outras pessoas. Ela também acaba indicando a capacidade que as pessoas desenvolvem de buscar seus objetivos, se antecipando a possíveis obstáculos.

6 coisas que os pais não devem fazer para ajudar na autonomia dos filhos

Ser uma pessoa autônoma significa que ela será mais livre. Afinal de contas, o conceito de liberdade acaba sendo justamente o de permitir que as pessoas tenham a possibilidade de viver sem amarras a outras pessoas. Mesmo que, na prática, de acordo com o modelo de sociedade que o ser humano construiu, estamos sempre dependendo de algo ou de alguma pessoa, existem diferentes formas de tornar essa dependência mais decisiva na vida. 

Muitos especialistas indicam que um adulto autônomo acaba tendo uma criação, quando eles ainda são crianças, que acabam promovendo este tipo de desenvolvimento. Mas incentivar a autonomia de crianças e adolescentes pode se tornar um desafio para os pais, especialmente os menos experientes, uma vez que elas simplesmente não são autônomas, dependem de um adulto para viver e sobreviver. 

Publicidade

Mas existem determinadas atitudes que podem acabar fazendo com que as crianças consigam, pelo menos, ir entendendo este conceito de autonomia, que poderá ser aplicado na prática quando elas se tornarem adultas. Confira algumas coisas que os pais não devem fazer para não acabar impedindo o desenvolvimento da autonomia das crianças e dos adolescentes:

Tratar os filhos como se eles fossem bebês sempre

Os pais devem acompanhar o desenvolvimento da idade das crianças, mudando e adequando suas atitudes na medida que aquele ser humano está se desenvolvendo. Na medida que eles vão conseguindo desenvolver as capacidades para fazer determinadas coisas, como se alimentar por conta própria ou dormir sozinhos, por exemplo, eles devem ser incentivados a fazer isso. 

Controlar com quem a criança vai brincar

Os pais devem acabar tendo um controle do ambiente que os seus filhos estão e também entender quem são as pessoas que estão convivendo com eles, incluindo outras crianças. Essa avaliação deve acontecer de forma antecipada. Por exemplo, vai colocar o filho em uma escolinha? A avaliação de segurança deve acontecer antes. Depois, é preciso que os pais acabem mantendo os pequenos em um ambiente confortável que permita com que eles escolham com quem eles querem brincar. Ficar definindo com que as crianças podem ou não interagir é uma forma de poder a autonomia.

Fazer todas as atividades dos filhos

Os especialistas recomendam sempre que, com o passar dos anos, os filhos passem a ter determinadas responsabilidade dentro das rotinas domésticas, especialmente com relação as suas coisas. Por isso, é importante que as crianças comecem a fazer determinadas coisas, especialmente as que são diretamente suas. Arrumar o quarto por exemplo. Ou recolher o seu próprio prato da mesa depois que ela termina de comer. 

Comprar todas as brigas do filho

É claro que os pais devem defender os filhos e agir sempre pela proteção dos mesmos. Mas isso deve ser feito sempre no mundo dos adultos. Por exemplo, se o filho está tendo problemas com um colega da escola, pode ser que os pais tenham que conversar com os pais da outra criança. Mas os adultos devem saber quais são as brigas que eles devem comprar em nome da criança. É muito importante ensinar que eles precisam se defender de forma autônoma, dentro de uma filosofia sempre de não violência e de busca por soluções pacíficas. 

Deixar a criança com medo

Muitos pais fazem isso, até mesmo de forma inconsciente, como uma forma de controlar as crianças de uma forma mais fácil. Por exemplo, inventar histórias assustadoras para que as crianças não saiam de dentro de casa, por exemplo. Neste ponto, a realidade sempre acaba sendo o melhor caminho para que as crianças aprendam sobre os perigos da realidade, ao mesmo tempo desenvolvam uma autonomia que não seja baseada apenas em fantasias. 

Manter as crianças fora dos problemas das famílias

Mesmo que os adultos possam filtrar o que as crianças sabem e o que elas não sabem sobre o que acontece dentro de casa, conforme ela vai avançando na idade se torna capaz e precisa entender os problemas, até mesmo por ela ser afetada e precisar compreender os motivos de possíveis acontecimentos negativos. 
 


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: