Topo

6 mitos que contam sobre os Vikings

Comente

A palavra viking acabou se tornando um termo amplamente utilizado para se referir ao povo escandinavo que se tornaram conhecidos por invadir, explorar e colonizar grandes áreas da Europa e de algumas ilhas do Atlântico Norte a partir do século VIII até o século XI. Eles acabaram se tornando conhecidos também por algumas outras características, como terem sido exploradores, guerreiros, comerciantes e piratas. 

Com tudo isso, os vikings acabaram se tornando muito conhecidos nos dias de hoje, já que passaram a ser retratados das mais variadas mídias, como televisão, cinema, livros, videogames e afins. Porém, junto com todas essas histórias, acabaram se perpetuando muitos mitos sobre os vikings de uma forma geral. 

Confira algumas das mentiras que costumam ser contadas sobre os Vikings:

Eles não utilizavam capacetes com chifres

Um dos objeto que acabou se tornando um símbolo de todo este conjunto de povos é o capacete com chifres. Mas, de acordo com pesquisas mais recentes, estes acessórios começaram a aparecer e ser utilizados apenas no século XIX. E o grande motivo deste acessório ter se tornado uma referência foi o fato dele ter aparecido durante uma ópera que retratava os vikings como vilões. 

Veja também:

Originalmente os capacetes que costumavam ser utilizados pelos vikings eram feitos de ferro de couro, mas a grande maioria deles não utilizavam nenhum tipo de cobertura nas suas cabeças. 

Eles não tinham apelidos amedrontadores

6 mitos que contam sobre os Vikings

Pelo o que podemos ver nos vikings da televisão e dos cinemas, parece que eles acabavam se dando nomes e apelidos terríveis, que tinham como principal objetivo realmente acabar causando pânico nos inimigos. Mas parece que isso acontecia apenas nas histórias que eram contadas pelos outros povos, especialmente os que sofriam com os seus ataques. Além disso, essa foi uma forma dos europeus identificar essas pessoas, já que os sobrenomes reais eram escassos e pouco conhecidos das outras pessoas. 

Funerais parecidos com os de outras culturas

Um costume que acabou se tornando muito conhecido dos vikings que aparece na televisão e no cinema está diretamente relacionado com o que acontece quando um deles morrem. Geralmente são feitas cerimonias no qual o morto é vestido com suas melhores roupas, colocadas em um barquinho e incendiado no mar, o que sempre acaba sendo uma cena muito bonita. Mas, na verdade, essa era uma realidade muito distante do que realmente acontecia no dia a dia. 

Pesquisadores afirmam que os vikings tinham rituais de funerais muito parecidos com os que são realizados em outras culturas e o que costuma ser feito até os dias de hoje. A grande maioria dos mortos acabavam sendo enterrados no solo. O que pode ter dado origem ao mito do barco é o fato de que, em alguns casos, os vikings realmente eram sepultados dentro dos navios. E muitos também tinham os seus corpos queimados. 

Nem todos os vikings eram guerreiros 

Uma outra história que costuma ser contada de uma forma bastante frequente quando o assunto são os vikings é a formação de guerreiros. Parece que existia um grande projeto do povo que obrigava todos os homens, quando ainda eram meninos, a treinar para se tornar um membro do exército. Mas tudo indica que isso também não uma verdade. De fato, a grande maioria dos vikings eram pessoas normais. 

Os pesquisadores afirmam que a grande maioria dos vikings realmente tinham atividades comuns das sociedades da época, sendo fazendeiros, pescadores e camponeses. Também não era verdade que os vikings estavam o tempo todo lutando e fazendo guerras. Isso acontecia em episódios pontuais nos quais eles estavam invadindo uma região ou se defendendo. 

Eles não eram mais sujos do que as outras pessoas da época

Quase sempre retratados como um povo bárbaro, essas pessoas geralmente costumam ser retratadas como sujas, fedorentas e brutais. Mas, mais uma vez isso, acabou se tornando apenas uma forma de representar essas pessoas que acabou pegando e fazendo sucesso. Na verdade, em relação a sua limpeza, eles não eram muito diferentes dos europeus comuns da época. 

Além disso, nos últimos anos diversos pesquisadores descobriam uma quantidade significativa de produtos de higiene pessoal que os vikings utilizavam no dia a dia, incluindo pinças, pentes, palitos e limpadores de ouvido. 

As mulheres não eram deixadas de lado

Para sua época, os vinkings tinham uma abordagem considerada bastante progressiva em relação aos papeis de gênero. As mulheres podiam, por exemplo, ter propriedades, coisa que muitas sociedades da Europa impediam. Além disso, as mulheres vikings também podiam desafiar qualquer tipo de arranjo de casamento e até mesmo solicitar o divórcio se o casamento não estivesse de acordo. Muitas delas também iam para a guerra. registro histórico de uma batalha em 971 diz que mulheres lutaram e morreram ao lado dos homens.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: