Topo

Macarrão: História, tipos e dicas de preparo

5.00 / 5 - 1
Comente

A palavra “Macarrão” vem do grego “Makària” este que data mais de 25 séculos significando caldo de carne enriquecido por pelotinhas de farinha de trigo e por cereais. Esta palavra “pasta” massa para os italianos e a mais utilizada em vários países para se referir ao macarrão) vem do grego se vem originada do grego “Pastillos”. Este termo é citado em seus textos pelo poeta Horácio há milhares de anos em versos culinários.

Já os latinos na época de Cristo já vinham se deliciando com um prato que era batizado de “macco”, contando com um caldo de favas e massas de trigo e água. Toda a reunião destas influências fizeram com que há mais de mil anos surgisse na Sicília o verbo “maccari” que significa esmagar ou mesmo achatar com muita força, que também vem do grego “makar” que significa sagrado. Uma palavra derivada de “macarronis” sendo utilizada no ano de 1279 em um grande inventário criado por um soldado genovês, Ponzio Bastione que deixou para a sua família de herança uma “cesta de massas”.

O macarrão surgiu e começou a ser preparado logo que o homem descobriu que poderia moer cereais misturando com água para obter uma massa que era cozida ou assada. É difícil dizer onde isso aconteceu. Ocorreram historicamente diversos momentos que o macarrão esteve presente na alimentação humana e até mesmo os historiadores possuem opiniões diferenciadas disto. A história do macarrão vem a se confundir com alguns fatos históricos que mostram toda a trajetória do apreciado produto que vem em toda a história mundial ao longo dos séculos até hoje.

Existem textos de civilizações antigas que contam que assírios e babilônicos que viviam há mais de 2.500 anos antes de cristo conheciam um produto cozido que era á base de cereais e também água.

A primeira referência levada mais próxima ao Ocidente do macarrão cozido veio no Talmude de Jerusalém. Este livro que vem a trazer leis judaicas do Século V a.C. Na cidade de Roma no Século VII. Onde na época se comia uma papa de farinha que era cozida em água e se chamava pultes. Existia uma variação da receita que com legumes e carne era chamada de puls púnica. Contando com queijos frescos e mel, puls Julia.

Depois disso o macarrão teria chegado a Veneza no ano de 1295 das mãos de Marco Polo que voltava da China onde ficou mais de 17 anos. Em sua bagagem vinham diversas novidades, junto da receita de um prato que era feito com uma farinha extraída de arbusto de sagu que depois de cozida ela era cortada e seca. Na Itália por sua vez em 1279 já existia o registro de um nome associado a massas. Em um inventário de um soldado de nome Ponzio Bastione, este deixava a família, uma “cesta de massas”, que utilizou o nome “macaronis”para descrever o item. Esta palavra vinha derivada de verbos, um antigo dialeto utilizado na região.

Apesar disso a versão que era mais aceita pelos historiadores faz referências aos árabes como os pais do macarrão, os levando á Sicília no século IX, quando estes conquistaram a maior ilha italiana. Eles chamavam de itrjia. Uma massa seca para melhor conservação nas suas longas travessias pelo deserto. Na época a Sicilia se tornou o centro mais importante do comércio e exportação de macarrão.

Existe macarrão para todos os tipos de gostos, e é muito fácil de ser preparado, permitindo diversas variações de receitas alegrando o almoço de domingo de todos os brasileiros de norte a Sul do país. Se engana muito quem achar que macarrão é tudo a mesma coisa.

Com diversos tipos de ingredientes e formatos, ele sempre resulta em um prato diferente e maravilhoso. O melhor é que não engorda. A cada 100 gramas de massa cozida sem molho, você tem a quantidade de 110 kcalorias e a com ovos 120 kcal.

Estudos comprovam que este prato deve estar nas refeições diárias, fazendo parte de grupos de alimentos energéticos sendo uma boa fonte de carboidratos.

O macarrão possui 11% de proteínas e é rico em vitaminas de complexo B em sua composição, é uma importante fonte de carboidratos principalmente, veja algumas de suas variedades a seguir:

COMUM, DE SÊMOLA E COM OVOS

Comum

Feita de farinha de trigo e água, é a mais barata.

De sêmola

Com trigo nobre (tipo I), é um produto mais caro.

Como ovos

Tem adição de 3 ovos por quilo de farinha.

GRANO DURO E INTEGRAL

Grano duro

Com trigo durum fica al dente, ou seja, soltinha.

Integral

Com farinha integral e fibras é mais saudável.

COM VEGETAIS E CASEIRO

Com vegetais

Com beterraba ou espinafre ou cenoura.

Caseiro

Com ou sem ovos, feita de forma artesanal, absorve mais o molho.

Para preparar o macarrão é muito simples, e um termo muito utilizado nas receitas de macarrão é o “AL DENTE”, que significa em tradução literal “que precisa ser mordido” é um ponto em que a massa deverá estar cozida porém firme. Procure sempre respeitar o tempo de cozimento do macarrão, sempre observando que cada espessura, formato e também tamanho exigem um tempo específico para cozimento. A melhor forma de se verificar se o macarrão está neste ponto ou seja nem duro nem mole é dois minutos antes do tempo de cozimento você retirar com um garfo um pedaço e experimentar, corte o fio ao meio se for macarrão por exemplo e observe se não há um ponto branco no centro, se tiver um ponto branco, deixe cozinhar um pouco mais. É bem interessante lembrar que o macarrão continua cozinhando depois de escorrido devido a quentura por este motivo é bom ficar atento. Se ele cozinhar no tempo certo procure observar estas dicas e não terá erro certamente.

Procure para cada 100 gramas de macarrão ferver aproximadamente 1,5 litros de água. Quando ela começar a ferver procure colocar a massa e mexa delicadamente com um garfo para que não grude, acrescente ainda um fio de azeite e mexa de vez em quando enquanto estiver cozinhando.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: