Império - Novela da Globo

4.02 / 5 - 56
Comente
Novela Império

A nova novela das nove, Império, traz uma história eletrizante, com todos os ingredientes que uma boa trama deve ter: drama, humor e realismo. Por isso, está sendo um sucesso!










    Comentários (7) Postar um Comentário

    Breno Braga comentou:

    Novela nota 10

    Fernanda Mattoso comentou:

    Começou bem, com seus clichês de sempre e tudo mais. Porém, o que realmente gostaria de ressaltar é situação de Robertão na novela, bem como toda a sua família. Vejo que os comentários em torno de Império giram apenas no campo do dinheiro, do poder, do sexo, da traição e do amor gay. Não vi, até agora, quase ninguém criticar a forma como a prostituição está sendo tratada nesta trama.
    Moralismos a parte, é a única coisa que vem me incomodando no folhetim, porque penso que o autor, com a conivência da Globo ávida por audiência, está sendo irresponsável ao abordar a questão. Pra piorar, a rede está promovendo a situação através do núcleo de humor da novela. O casal com ares de “Três Patetas” vendem os filhos abertamente em horário nobre e um tanto de gente está rindo disso. Adorando os shows do garotão iniciante a michê, com direito a aulas particulares em casa. A menina que deveria estar fazendo faculdade e iniciando uma carreira promissora, se rendendo aos encantos do seu “DONO”. O texto dos pais de Maria Isis e Robertão é didático. O argumento da exploração está entregue de bandeja. Quem quiser fazer o mesmo caminho é só reproduzir suas falas. Para muitos as aulas de exploração sexual dos pais de Maria Isis e Robertão são perfeitas. Dá pra praticar em casa. E este tipo de coisa influencia muita gente, sim. Tive uma diarista que me disse que: “se tivesse uma filha, faria com ela o mesmo que a chacrete fez com a Valdirene (Tátá Verneck) na novela Amor à Vida”. Criaria a menina para casar com um homem rico e ficar longe de trabalho, independente se o amasse ou não. Amor, para ela, “é o que se tem na conta bancária”. Caso real!
    Vejam só, em Império: os pais cobram financeiramente dos filhos o fato de tê-los criado, como se isso não fosse obrigação legal de quem põe alguém no mundo. Além disso, mentem, subvertem o caráter dos dois e, em nenhum momento, se fala em trabalho naquele grupo. A moça fica de calcinha em tempo integral aguardando o amante, enquanto o outro arrasta o chinelo rua afora exibindo sua indolência patológica. A rotina da família é planejada conforme a exploração do trabalho dos outros. O patrimônio alheio é roubado diariamente como se fosse normal. A teoria do “SE ME DÃO” é vivenciada pelos personagens de forma vulgar, banal e bem humorada. Esta é a pior parte: como é tratada de maneira cômica, a situação tem sido assimilada como normalidade, de forma divertida. Distraindo as pessoas da gravidade do que o fato envolve.
    Sei que novela nunca foi programa educativo, nem tem o objetivo de Telecurso, mas um veículo de comunicação do porte da Globo tem que ter responsabilidade social (principalmente quando prega este discursso). Que adianta os milhões da Campanha Criança Esperança se, na semana de arrecadação, estão promovendo a prostituição de dois jovens, corrompidos e explorados pelos próprios pais, em uns dos seus programas de maior audiência? As estatísticas são claras quanto ao número assustador de menores e, até mesmo, jovens da idade dos personagens em questão, explorados sexualmente no Brasil. São vendidos de forma desumana, sem a menor chance de defesa ou têm a vida arrasada para sustentar a família. Uma realidade cruel que poucos grupos sociais, ONG’s, entidades de classe e alguns policiais corretos tentam combater, sem muito sucesso, todos os dias. E vem a mesma rede que “apoia” a causa social (“ama as criancinhas brasileiras”) e apresenta a situação na novela de forma lúdica, cômica e didática. O que há de engraçado nisso?
    Tem mais, depoimentos de pessoas que já passaram pela realidade da prostituição ou estão nela, em sua maioria, demonstram que não gostariam que seus filhos seguissem o mesmo caminho. A maioria alega que sonha em vê-los felizes, formados, com uma vida bem distante do famoso “dinheiro fácil”, que de fácil não tem nada.
    O que sinto é que a “causa gay” parece que cegou as pessoas em torno de si, como se fosse a única coisa importante para ser discutida na mídia. A atenção para o “beijo gay” desviou os olhares das pessoas para questões mais profundas como valores familiares, ética, produtividade, honra e trabalho. Valores fundamentais que são agredidos desnecessariamente na novela. Tudo bem fantasiar na trama, mas tem que ter limite quando se fala para milhares de pessoas de diferentes condições socias, culturais ou éticas. E que, sobretudo, não têm TV PAGA para mudar de canal. Não sei se concordam, mas registro aqui minha indignação.

    Geny Dias Barros Barros respondeu:

    Concordo plenamente em gênero, número e grau com você Fernanda Matoso. Sábias palavras! É tudo exatamente como eu penso...Pena que somos uma minoria que pensa assim. O que eu gostaria mesmo era de desligar a televisão e não ver mais esses absurdo, mas tem sempre quem gosta disso. Meus Deus, o que será desse mundo que vivemos?

    Ju Fernandes comentou:

    gostei muito joao lucas mudou gostei do gemios

    Wanilson Pereira comentou:

    e isso mesmo fernanda... e as futuras geraçoes sendo educada, preparada por esta prostituta chamada TV GLOBO... sem falar nos casamentos destruidos.... obs... desta forma sutil mas destruidora o brasil vai seguindo com outros escandalos... estamos num pais que nossa opinao deveria ser levada em conta... se pudesse... eu tirava a rede GLOBO do ar...

    Geny Dias Barros Barros comentou:

    Estou torcendo que essa próxima novela " Babilônia" não tenha tantos homossexuais com na Império... Não sou preconceituosa, mas acho que isso não deixa de uma certa maneira influenciar os jovens que ainda não possuem maturidade formada... Tudo bem, sem discriminação, cada um faz da sua vida o que quiser, só não precisa exaltar tanto, né?
    Será que as novelas de hoje só fazem sucesso assim? Tenho saudades das novelas que respeitavam e valorizam as famílias...

    Allan Carvalho comentou:

    quem dera se essa novela repetir. muito boa mesmo

    Fabrício Fernandes Gomes comentou:

    Gostei muito não :(