Topo

Morre Belchior, cantor e compositor de músicas emblemáticas

Comente

Conhecido por suas letras que retratavam a situação do País e todo o desconforto vivenciado por ele em sua época auge, o cantor Belchior deixou, neste último dia 30 de abril, muitos fãs desolados. Mesmo depois de ter se refugiado longe da mídia e sem deixar claro seu paradeiro, o cantor e compositor de 70 anos ainda possuía uma legião de fãs que o respeitava e amava incondicionalmente. O que se sabe é que ele se sentiu mal na noite de sábado, se queixou de muito frio à esposa e disse que ia descansar no sofá da sala. 

Nascido em Sobral, o cantor foi velado na manhã do dia 30 em sua cidade natal, mas foi enterrado na Capital, em Fortaleza, onde ficou no período da tarde no Centro Cultural Dragão do Mar e recebeu a visita de centenas de fãs, seguindo para ser enterrado no cemitério Parque da Paz.

Nos últimos anos, Belchior ficou conhecido por ter abandonado a carreira, a família e os bens pessoais. Em agosto de 2009, foi dado como desaparecido pela família e amigos. Os rumores que corriam era de que o artista estaria morando no Uruguai e depois teria se mudado para Porto Alegre e, em seguida, Santa Cruz do Sul, cidade onde vivia atualmente e foi encontrado morto, sem causa ainda determinada. 

Conheça algumas músicas que fizeram sucesso em sua história:

Como Nossos Pais: 

Veja também:

Música do segundo álbum do cantor, "Alucinação", esta música fez muito sucesso na voz de Elis Regina .

Apenas um rapaz Latino Americano: 

Também do "Alucinação", considerando um dos grandes álbuns da música brasileira, Apenas um Rapaz Latino Americano consagrou o cantor com sua letra que retratava um pouco de sua história pessoal.
 

À Palo Seco:

Do disco "Mote e Glosa", de 1974, diz a lenda que À Palo Seco é uma resposta à música Eu também vou reclamar, de Raul Seixas. 

Coração Selvagem:

Seu terceiro disco, "Coração Selvagem", é uma pequena obra-prima, que foi lançada no ano 2000.

Alucinação:

Com mesmo nome do álbum que fez tanto sucesso, a música Alucinação se tornou um dos verdadeiros hinos proclamado pelo cantor durante sua carreira, com o trecho "Amar e mudar as coisas me interessa mais".

Mucuripe:
 

Falando das famosas velas do Mucuripe, região da Capitão do Ceará, a música fala sobre o histórico local onde os pescadores saem, diariamente, para pescar.
 

Sujeito de Sorte:

"Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro. Ano passado eu morri, mas esse ano eu não morro". Trecho que até hoje é entoado pelos fãs do cantor, que retrata os percalços enfrentados por todos nós no dia a dia e sobre superação.
 

Velha Roupa Colorida:

A música fala do passado, em analogia às roupas guardadas em nosso armário e que não usamos mais. Fala de mudança e renovação. Também do famoso álbum Alucinação.
 

Discografia

1971 - Na Hora do Almoço (Copacabana - Compacto)

1973 - Sorry, Baby (Copacabana - Compacto)

1974 - Mote e Glosa (Continental - LP/K7)

1976 - Alucinação (Polygram - LP/CD/K7)

1977 - Coração Selvagem (Warner - LP/CD/K7)

1978 - Todos os Sentidos (Warner - LP/CD/K7)

1978 - Pop Brasil (Warner Music / WEA)

1979 - Era uma Vez um Homem e Seu Tempo (Warner - LP/CD/K7)

1980 - Objeto Direto (Warner - LP)

1982 - Paraíso (Warner - LP)

1984 - Cenas do Próximo Capítulo (Paraíso/Odeon - LP)

1986 - Um Show: 10 Anos de Sucesso (Continental - LP)

1987 - Melodrama (Polygram - LP/K7)

1988 - Elogio da Loucura (Polygram - LP/K7)

1990 - Projeto Fanzine (Polygram - LP/K7)

1991 - Divina Comédia Humana (MoviePlay - CD)

1991 - Acústico (Arlequim Discos - CD)

1993 - Baihuno (MoviePlay - CD)

1995 - Um Concerto Bárbaro: Acústico ao Vivo (Universal Music - CD)

1996 - Vício Elegante (Paraíso/GPA/Velas - CD)

1999 - Autorretrato (BMG - CD)

2002 - Pessoal do Ceará (Continental / Warner - CD)

2008 - Sempre (Som Livre - CD)




Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: