Topo

Leitura de livros ajuda a adivinhar pensamentos

Comente

Ao longo do tempo ouvimos o tempo todo falar que os livros são muito importantes, mas algumas pessoas parecem que não conseguem entender muito bem o porque. Mas recentemente uma pesquisa feita especialmente com as mulheres, acabou comprovando mais alguns motivos para que as pessoas tenham um tempo para ler uma boa história de ficção no livro ao invés de acompanhar apenas a programação da televisão os filmes que passam no cinema.

As obras de ficção que elas leem possuem a capacidade de aumentar o poder do intelecto, ou seja, a capacidade que as pessoas acabam tendo de raciocinar e de criar. Além disso, nas mulheres os livros com histórias ficcionais acabam exercendo um papel ainda mais importante. De acordo com o depoimento de pesquisadores e profissionais que estiveram envolvidos em uma importante pesquisa, as mulheres conseguem diferenciar melhor o que são pensamentos concretos e o que são emoções ao praticarem mais a leitura de livros e histórias ficcionais.

Os cientistas acreditam que estas habilidades estão diretamente relacionadas a coisas que acontecem no nosso dia a dia. Por exemplo, quando estamos nos relacionando com outras pessoas, é muito importante conseguir diferenciar um sorriso verdadeiro e espontâneo de um sorriso falso, por exemplo. Ou ainda tentar conseguir identificar e medir as verdadeiras emoções por trás dos nossos familiares, por exemplo. Tudo isso é está diretamente relacionado a nossa capacidade de diferenciar o real do quem não é real. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, isso não é uma habilidade nata, ela pode ser desenvolvida no nosso cérebro.

leitura-de-livros-ajuda-a-adivinhar-pensamentos

Mas o mais impressionante de tudo é que esta pesquisa feita acabou dando alguns dados interessantes relacionados ao comportamento feminino. Por exemplo, muito já se falou ao longo da história que as mulheres teriam mais facilidade para conseguir lidar com as relações humanas e identificar justamente este tipo de comportamento, ou seja, da pessoa que não estaria sendo completamente verdadeira da que estaria. E isso pode também estar relacionado com o hábito da leitura, já que as mulheres leem mais que os homens e dentre suas leituras prediletas estão justamente as histórias ficcionais, enquanto que os homens acabam dando preferência as histórias verídicas.

Sobre a pesquisa

Para esta investigação, Emanuele Castano, professor de psicologia na New School for Social Research de Nova York, e seu aluno de doutorado, David Comer Kidd, pediram a várias pessoas para lerem histórias curtas de ficção literária de qualidade, de ficção popular de menor qualidade e de não-ficção.

Os leitores foram submetidos a uma série de testes destinados a medir como podiam adivinhar o que uma pessoa sentia, por exemplo, olhando a foto de uma expressão facial ou respondendo a perguntas sobre como uma pessoa com determinada personalidade atuaria sob certas circunstâncias. Os dados revelaram que os melhores resultados foram obtidos pelos que tinham lido fragmentos de ficção literária.

Os pesquisadores foram capazes de conseguir identificar algumas diferenças quando o assunto era a diferenciação das que as mulheres conseguem fazer estavam relacionadas também a qualidade do livro de ficção que estava sendo lido. Mesmo assim, todas as pessoas que leram conseguiram se sair melhor do que as que não leram livros ficcionais.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: