Topo

Cólica menstrual forte pode ser um dos sintomas de Endometriose

Comente

Os cuidados com a saúde devem ser constantemente revistos com o objetivo de diagnosticar de maneira precoce qualquer doença que possa. eventualmente. se agravar e até mesmo tornar-se irreversível, e embora a regra seja válida tanto para homens quanto para mulheres, existem patologias que afetam exclusivamente a ala feminina, como por exemplo, a Endometriose, sobre a qual falaremos mais detalhadamente na sequência.

Cólica menstrual forte pode ser um dos sintomas de Endometriose

colica-menstrual-forte-pode-ser-endometriose

O endométrio é um tecido que quando reveste o interior do útero, apresentando-se fora da cavidade uterina, mais especificamente nos demais órgãos da pelve como ovário, intestino e Bexiga torna se uma doença conhecida como endometriose.

A cada mês o endométrio fica com uma camada mais espessa para que caso ocorra a fecundação do óvulo, ele possa se alojar-se no mesmo, entretanto, quando não há nenhum indicio de gravidez a pele escama e é expelida juntamente com a menstruação.

Em alguns casos, parte desse sangue que deveria ser expelido toma um rumo diferente podendo chegar ao ovário ou na cavidade abdominal, o que acaba causando a lesão endometriótica.

Apesar de ainda não se saber o motivo que leva a esse tipo de ocorrência, sabe-se que se a irmã ou mãe de uma mulher já teve a doença é bem provável que ela também possa desenvolver esse tipo de problema no futuro.

Vale ressaltar que a doença pode acontecer em mulheres a partir da primeira menstruação e se prolongar até a última, o diagnóstico da doença geralmente é detectando quando a paciente está por volta de 30 anos de idade.

A endometriose afeta cerca de seis milhões de mulheres no brasil, e de acordo com a Associação Brasileira de Endometriose de 10% a 15% das mulheres em fase reprodutiva entre 15 a 35 anos podem desenvolver essa doença, sendo que 30% delas podem vir a se tornar estéreis.

Sintomas da endometriose

Um dos principais características da doença é a infertilidade e dor, de acordo com as estatísticas. cerca de 20% das mulheres que tem a doença sofrem apenas dor, 60% sofrem com a dor e infertilidade e 20% sofrem apenas com a infertilidade. Algumas mulheres sentem dores quase que insuportáveis, ao passo que outras não sente nenhum tipo de desconforto mesmo tendo a doença. Entre os sintomas mais comuns estão:

  • Dores e cólicas intensas durante o período de menstruação;
  • Dores agudas na TPM;
  • Dores enquanto mantêm relações sexuais;
  • Dores crônicas nas regiões pélvicas;
  • Fadiga crônica e exaustão;
  • Sangramento excessivo, intenso ou irregular;
  • Alterações intestinais ou mesmo relacionados à urina durante o período menstrual;
  • Infertilidade de modo a possuir dificuldade em engravidar;

A dor que a endometriose causa muitas vezes é confundida com uma cólica menstrual intensa ou dor abdominal durante a relação sexual, podendo também ser confundida com dor no intestino comum a algumas mulheres durante a menstruação.

Leia também:

Como é feito o diagnostico da doença

O diagnostico da doença é feito apenas por exames físicos e laboratoriais como ultrassom, endovaginal especializado, exame ginecológico, dosagem de marcadores entre outros exames laboratoriais. A endometriose profunda pode ser detectada com exame de toque, podendo o médico solicitar em alguns casos também uma ressonância magnética.

Tratamento de endometriose

Para tratar a endometriose há duas maneiras, que é por meio de medicamentos ou cirurgia, sendo o profissional médico o único responsável por determinar qual dos caminhos seguir de acordo com a gravidade da situação.

Tratamento cirúrgico

No tratamento cirúrgico, normalmente é feito uma laparoscopia para remoção da endometriose, em alguns casos a doença pode trazer complicações como cistos, que também poderão ser reparados com a cirurgia. Em casos mais extremos, algumas medidas mais radicais podem ser tomadas, tais como a retirada total dos órgãos pélvicos afetados pela doença.

Tratamento medicamentoso

Hoje em dia existem vários medicamentos que podem ser usados no tratamento da doença, sendo possível inclusive utilizar o DiU com levonorgestrel para essa finalidade em alguns casos. Antes de iniciar o tratamento com medicamentos, as pacientes que desejam engravidar são encaminhada para o Centro de Reprodução Humana, para que futuramente possam ter chances de fazer fertilização in vitro.

Vale ressaltar que ainda não existe uma cura permanente para a doença e sim um tratamento capaz de amenizar os malefícios dos sintomas, em todo caso, deve-se procurar um profissional médico qualificado antes de optar por qualquer tipo de tratamento em relação a essa ou quaisquer outras doenças.




Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: