Topo

Além de Will Smith: Confira outras polêmicas da cerimônia do Oscar

Comente

A cerimônia do Oscar 2022 teve diversos momentos históricos, como o fato de ter o primeiro ator surdo a levar a principal estatueta de sua categoria, ou ainda a primeira mulher abertamente LGBT+ e negra a ter ganho o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante. Mas, no dia anterior, não poderia deixar de ser diferente: o que realmente estava sendo comentado por todo mundo foi o tapa que o ator deu Will Smith acabou dando no comediante Chris Rock, um dos apresentadores da noite. 

Chris Rock foi convidado para entregar a estatueta da categoria de Melhor Documentário, mas logo na entrada resolveu fazer uma espécie de diálogo de abertura, fazendo piada com diversas das estrelas famosas que ali estavam presentes. E uma das vítimas das piadas ácidas do comediante foi a atriz Jada Pinkett Smith, esposa de Will Smith. 

Jada, que apareceu com o seu cabelo completamente raspado na cerimônia, foi comparada pelo comediante a personagem principal do filme G.I. Jane, na qual a atriz Demi Moore raspa a cabeça para conseguir entrar no exército se passando por um homem. “Jada, eu te amo, ‘G.I. Jane 2’, mal posso esperar para ver”, disse Chris.

Veja também:

O problema é que a atriz sofre de um distúrbio autoimune chamado de alopecia, que causa queda de cabelo e que na maioria dos casos acaba atingindo justamente as mulheres negras. E isso não era segredo para ninguém, já que a atriz já tinha falado publicamente sobre o assunto e foi amplamente repercutido pela imprensa que cobre a vida das celebridades. 

Jada fez uma cara de desconforto no momento da piada, e ao perceber isso, Will Smith subiu ao palco, caminhou em direção ao Chris Rock e acabou desferindo um tapa contra o comediante. Logo depois, falou alguns palavrões e mandou o comediante “tirar o nome da esposa dele da sua boca”. Logo no começo a audiência acreditou que se tratava de algo combinado, mas depois se percebeu que aquilo realmente tinha acontecido de verdade. 

Além de Will Smith: Confira outras polêmicas da cerimônia do Oscar

Com isso, tivemos o primeiro caso de agressão física durante uma cerimonia do Oscar. Mas isso não significa que a grande festa do cinema não tenha tido uma série de outros momentos que acabaram entrando para a história recente pela polêmica causada. Relembre alguns deles:

Kevin Hart

Recentemente, no ano de 2019, antes do mundo virar de ponta cabeça em função da pandemia de Covid-19, a cerimônia do Oscar já teve que mudar os seus planos de uma hora para a outra, sem ter a figura de um apresentador fixo. Naquele ano havia sido contratado o comediante Kevin Hart para fazer o papel de condutor dos trabalhos na premiação. 

Mas não se sabe ao certo se ele optou por não participar ou acabou sendo cortado da edição pela própria direção da premiação, mas o fato é que ele não participou em virtude de uma polêmica que foi provocada quando alguns tuítes antigos com conteúdo homofóbico foram parar na imprensa. 

O envelope errado

Antes da situação do tapa na casa do Oscar de 2022, o que aconteceu no encerramento do Oscar de 2017 era considerado como a maior polemica da história da cerimônia. Tudo aconteceu quando entregaram o envelope errado para os apresentadores da última e mais importante categoria, a de Melhor Filme. 

Os atores veteranos Warren Beatty e Faye Dunaway eram os encarregados de anunciar o prêmio, mas ao abrir o envelope eles estavam com o da categoria anterior, que tinha premiado a atriz Emma Stone pelo filme “La La Land”. Ao ver o nome do filme, a Faye acabou anunciando “La La Land” como o grande vencedor da noite. 

Mas, na verdade, o escolhido era “Moonlight”, e isso foi anunciado apenas depois que toda a equipe de “La La Land” já estava discursando no palco. O que aconteceu foi o maior climão da história da cerimônia. 

#OscarsSoWhite

A falta de representatividade dos negros nas principais premiações da indústria do entretenimento norte-americana não é nenhuma novidade. Mas o ápice disso aconteceu no ano de 2015, quando pela primeira vez nos últimos nove anos não tinha nenhum negro concorrendo aos principais prêmios da noite. Com isso, logo depois do anúncio dos indicados, uma grande campanha de boicote contra a academia surgiu na intenet, e a hastag “#OscarsSoWhite” (Oscar tão branco) ficou famosa. 

Segundo um levantamento publicado pelo "Los Angeles Times", na época, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood tinha mais de 6 mil membros, sendo que 94% eram brancos, 77% eram homens, e 86% tinham mais de 50 anos.  Isso acabou repercutindo diretamente na cerimônia, com todo mundo lá sentindo uma certa vergonha por ter sido indicado. 

 John Travolta e Idina Menzel

O ano de 2014 e a música “Let It Go”, da animação Frozen, tinha se tornado um dos maiores sucessos da história recente dos estúdios Disney. A cantora Idina Menzel, que canta a versão original, foi convidada para fazer a apresentação ao vivo da música na cerimônia. O ator John Travolta tinha a responsabilidade de introduzir a cantora, mas neste momento acabou chamando ela de Adele Dazeem. 

Em entrevistas que foram dadas depois do ocorrido, John Travolta culpou uma mudança de última hora no teleprompter (TP) – aparelho que passa o texto de forma que seja possível ler olhando em direção à câmera – pelo erro cometido.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: