Topo

Bizarro! Veja algumas das mais surpreendentes e inusitadas armas criadas para a guerra

Comente

Muita gente que ouve falar sobre a guerra mas nunca se aprofundou no conhecimento do assunto, geralmente imagina apenas aviões caça sobrevoando os territórios inimigos, tanques fazendo entradas “triunfais” disparando munição aos quatro ventos e navios da Marinha arquitetando ataques por água.

O fato, porém, é que a criatividade humana em períodos de guerra já foi muito além disso, e infelizmente, a crueldade também. Em meio às muitas invenções de aparatos úteis à guerra, determinadas ideias que foram implementadas ao longo dos anos foram absolutamente inusitadas e certamente vão te surpreender.

Confira uma lista com algumas das armas mais bizarras feitas durante a guerra

Tiros para o lado

Balas que fazem curva

Se você já viu filmes em que as balas que saem das armas fazem curva e achou isso inverossímil, provavelmente vai mudar sua opinião a partir de agora.

Segundo informações, soldados já teriam criado uma arma com cano curvo que se prestava ao papel de atirar para o lado. A engenhoca fora criada para que os soldados pudessem atirar para os lados, mesmo com o cano virado pra frente.

O sistema de mira do rifle era munido de espelhos que permitiam ao soldado o ajuste correto para atingir o alvo mesmo estando escondido. Estima-se que tenham sido fabricadas dez mil armas com cano curvo, no entanto, com o fim da guerra elas nem chegaram a ser usadas.

Cachorro-bomba

Cachorro-bomba

Não há como negar, a crueldade humana pode ultrapassar todos os limites. O que pode ilustrar isso é que, segundo informações, soldados de guerra já teriam tido a coragem de treinar cães-bomba, você acredita?

Os animais ficavam por muito tempo sem se alimentar e depois eram colocados em campo para buscar comida em baixo de tanques e veículos de guerra. Quando eles estavam bem habituados a comer em baixo desse tipo de veículo, os animais então eram levados para a guerra.

O corpo dos cães eram então acoplados a uma série de explosivos e os animais eram soltos para que procurassem os caças inimigos na tentativa de encontrar algum alimento.

Quando os cachorros estavam em baixo do veículo alvo à procura de comida, os militares então poderiam acionar a alavanca detonadora para explodir tudo ao redor. Informações sugerem que a tática funcionou por certo período, mas quando os inimigos desconfiaram, a maioria dos cães passaram a ser abatidos antes de alcançarem o alvo.

Leia também:

Míssil com motorista

Míssil com motorista

Informações sugerem que os mísseis com motorista teriam sido fruto de uma ideia desenvolvida como arma de guerra. Para que o projétil fosse conduzido até o seu alvo, um dos soldados ficava responsável por pilotar o mesmo.

A intenção era a de que nos últimos segundos antes do impacto o piloto conseguisse saltar de páraquedas. A ideia não foi pra frente porque boa parte dos pilotos de testes teriam morrido nos saltos, mostrando assim que a tática era um tanto quanto inviável.

Espião nas águas

Golfinho espiao

Segundo informações, o golfinho foi mais um animal que teria sido usado como arma para o homem, mas nesse caso, sem que necessariamente sofressem maus tratos. Um agrupamento do exército é quem seria o responsável por treinar os golfinhos.

O objetivo era fazer os bichos se tornarem grandes espiões no mar, eles encontravam bombas submarinas, entregavam mensagens aos nadadores quando havia falha no sistema de rádio e em alguns casos até ajudavam em resgate de mergulhadores perdidos.

Outra tarefa dos golfinhos seria impedir que mergulhadores ou submarinos não autorizados se aproximassem.




Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: