Topo

7 sentenças judiciais inusitadas que já foram notícia ao redor do mundo

Comente

Você provavelmente já ouviu falar sobre notícias bizarras relacionadas a curiosidades, mas e sobre sentenças judiciais inusitadas, já ouviu? Pois é, como o ditado diz, para muitos a justiça “tarda, mas não falha”.

O detalhe, porém, é que algumas vezes essa justiça pode vir de maneira nada ortodoxa, ou ao menos é o que sugere uma lista de sentenças bizarras publicada pelo site Oddee. A seguir você confere alguns exemplos.

Estas são as 7 sentenças judiciais mais bizarras de todas

Atestado de idiotice

Atestado de idiotice

Segundo as informações, uma mulher teria sido condenada a segurar um cartaz com os dizeres: “Somente um idiota dirigiria pela calçada para evitar um ônibus escolar” por dois dias nos horários mais movimentados na esquina de Cleveland, nos EUA.

Pena bíblica

Pena bíblica

De acordo com a notícia, uma mulher chamada Cassandra Tolley, teria sido presa após ferir duas pessoas enquanto dirigia sob efeito de álcool na contramão de uma via na Carolina do Sul.

Ela estava com o índice de álcool no sangue quatro vezes a cima do permitido pela lei norte-americana. Além de ser condenada a oito anos de prisão, o juiz fez com que ela lesse o livro de Jó, do Velho Testamento, e escrevesse um resumo.

Nem dinheiro, nem casa

Nem dinheiro, nem casa

Um rapaz espanhol de 25 anos entrou com um processo contra os próprios pais depois que eles cortaram sua mesada até que encontrasse um emprego. Ele que já era formado em Direito, exigia que seus pais lhe pagassem 400 euros por mês, cerca de R$ 1.200.

O juiz após avaliar o caso, não pensou duas vezes ao dar perda de caso ao rapaz, e ainda decretou que ele saísse da casa dos pais em 30 dias.

Natal no xadrez

Natal no xadrez

Betina Young, de Ohio, teria sido presa por vender carteiras de identidade e de motorista falsificadas. Só que ela não foi para cadeia por 15 anos como é previsto a lei para esse tipo de crime nos EUA.

Sua pena foi ficar presa nas festas de Natal dos próximos cinco anos, sempre em um mínimo de três dias durante o período, ficando livre o restante do ano. O detalhe, porém, é que se ela falhasse, aí sim teria de ficar presa pelo tempo total da pena.

Leia também:

Corte de cabelo

Corte de cabelo

Após ter atacado uma garotinha de três anos de idade e cortado mechas de seus cabelos, uma delinquente juvenil de 13 anos, da região de Utah, nos EUA, foi condenada a cumprir 276 horas de serviços comunitários, pagar uma indenização à família da vítima, e ainda passar 30 dias detida.

Só que a mãe da jovem delinquente, conseguiu reduzir a pena para 150 horas, após o juiz ordenar que os cabelos da agressora fossem cortados diante do júri.

Overdose musical

Overdose musical

Um rapaz nos EUA foi condenado a pagar uma multa no valor de US$ 150, cerca de R$ 330, por estar ouvindo rap alto demais.

Só que o juiz o juiz decidiu reduzir a pena para S$ 35, cerca de R$ 80 depois de sentenciá-lo a passar 20 horas ouvindo Chopin, Bach e Beethoven, dessa forma ele aprenderia como alguém se sente ao ser obrigado a ouvir algo que não gosta em som alto. A melhor parte é que o condenado não conseguiu cumprir a pena!

Dez anos de… Igreja

Dez anos de... Igreja

Segundo notícia, um juiz de Oklahoma, nos EUA, teria decretado uma pena alternativa para Tyler Alred, um jovem de 17 anos, que foi condenado por homicídio culposo por provocar a morte de um amigo durante um acidente no qual ele dirigia embriagado. Em vez de mandar o jovem para a prisão, ele o teria sentenciado a ir à igreja semanalmente durante dez anos.

O jovem ainda teria que terminar os estudos, realizar exames capazes de diagnosticar uma eventual presença de drogas, álcool e nicotina no organismo e participar de comitês de apoio a vítimas de acidentes de trânsito, usando sempre um bracelete que acusa o consumo de substâncias ilegais.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: