Topo

Hubble vai completar 32 anos no espaço sendo substituído por um telescópio lançado em 2021

Comente

Em abril deste ano, o Telescópio Espacial Hubble vai completar 32 anos no espaço. O dispositivo foi responsável por várias descobertas, e ajudou a comprovar e a criar algumas teorias no campo da astronomia. Apesar de toda essa importância, em 2022, o telescópio que deve chamar mais atenção é o Webb, lançado em dezembro do ano passado. Com uma nova tecnologia e um posicionamento diferente, ele promete ser o substituto do Hubble para descobertas que vão revolucionar a engenharia aeroespacial e a astronomia.

Hubble vai completar 32 anos no espaço sendo substituído por um telescópio lançado em 2021

O lançamento do Webb aconteceu no dia 24 de dezembro, e causou muito barulho entre os cientistas e profissionais dessa área. As inovações do telescópio prometem ser o suficiente para coletar dados e fotos importantes, principalmente de teorias sobre os buracos negros e também a criação do espaço. Ou seja, estamos falando de uma ferramenta espacial que pode mudar ou comprovar muitas teorias que ouvimos falar nos últimos 30 anos.

Um dos motivos de toda essa expectativa está no posicionamento do Webb, que ficará em órbita no Sol, e não na da Terra como é o caso do Hubble. Isso significa que esse novo telescópio está a uma distância de 1,5 milhão de quilômetro do nosso planeta. Essa informação é muito importante, pois o alcance dele é de 13 bilhões de anos-luz, mais do que o suficiente para analisar planetas, estrelas e outros detalhes do espaço. O substituto do Hubble tem tudo para repetir o antecessor e também fazer história como um dos equipamentos mais importantes que o ser humano já produziu.

Enquanto isso, no próximo dia 24 de abril, o telescópio lançado em 1990 vai comemorar 32 anos como uma ferramenta que superou todas as expectativas. Ele deve continuar sendo utilizado pelos próximos anos, mesmo com um substituto melhor. Afinal, estamos falando de um equipamento que continua fazendo descobertas mesmo sendo construído nos anos 80. Em novembro de 2021, por exemplo, o Hubble descobriu uma anomalia na constelação de Orion. Essa foi apenas uma de várias descobertas feitas durante os 12 meses do ano passado.

Uma missão histórica

A NASA foi a responsável por levar o Hubble para o espaço, e fez isso na missão STS-31 Discovery. O Dr. Steven Hawley, atual professor nos Estados Unidos, foi um dos astronautas responsáveis por ajudar no lançamento Em entrevista ao site de jogos de cassino online da Betway, ele comentou sobre a experiência e lembrou algumas responsabilidades que teve. Como era o engenheiro de voo, Hawley foi o escolhido para operar o braço de robô que tirou o telescópio do compartimento de carga e o colocou em órbita. Uma missão complicada, principalmente para a época.

O astronauta aposentado em 1999 explica que não existiam tecnologias avançadas na época, como um software anticolisão, e isso fez com que toda a responsabilidade para evitar acidentes fosse dos astronautas. Ou seja, mesmo com alguns monitores ajudando a missão no espaço, o trabalho manual continuava sendo o mais importante. Algo que não deve ocorrer mais, pois as inovações dos ônibus espaciais e também dos telescópios foram aperfeiçoadas exatamente para trazer mais segurança e efetividade nas operações fora da Terra.

O artigo do blog Betway Insider também mostra que o Dr. Steven Hawley ainda foi chamado para outra missão, essa em 1997, para realizar reparos no Hubble. A STS-86 Discovery teve como objetivo restaurar algumas funcionalidades, e foi essencial para manter o dispositivo em funcionamento até hoje. Um trabalho bem feito, pois o telescópio está prestes a completar 32 anos, e está em pleno funcionamento. Uma máquina que revolucionou vários campos, e que só está em funcionamento por conta de astronautas que fizeram história nos anos 90.

Uma conexão com o telescópio

A chegada do Webb deve ofuscar muitas ações do Hubble, mas isso não significa que ele será esquecido. Hawley afirma que todos os anos, no aniversário do lançamento do telescópio, manda um recado aos companheiros de tripulação. Ele lembra os antigos colegas que as missões realizadas são motivos de orgulho, pois mudaram por completo a astronomia. Além disso, o professor também se atualiza de todas as descobertas mais recentes feitas pelo telescópio.

Os 32 anos de história do Hubble são importantes para mostrar como a humanidade está evoluindo com a ajuda de esforços do passado. A ferramenta espacial pode ter ficado menos avançada com o tempo, mas isso não diminui a contribuição em todo esse tempo que está ativo no espaço.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: