Topo

Câncer de Mama: Descubra os mitos e as verdades

Comente

Outubro é o mês em que ocorre com maior intensidade o combate e a conscientização ao câncer de mama entre as mulheres graças a um movimento chamado “Outubro Rosa”.

Durante o mês de outubro inúmeros meios de comunicação repassam informações sobre o assunto, orientando de maneira direta mulheres de todo o mundo. Apesar de todo a repercussão gerada em decorrência dessa nobre causa, ainda nos dias atuais muitas mulheres vivem em dúvida acerca dos mitos e verdades relacionadas ao câncer de mana, pelo que, na sequência trataremos de desmistificar parte desse tema.

cancer-de-mama-mitos-e-verdades

Mulheres obesas correm mais riscos de contrair câncer de mama?

VERDADE: Pessoas que estão acima do peso tem um acumulo maior de gordura, e essa gordura aumenta os níveis de estrogênio, um hormônio que se presente em excesso é capaz de fazer com que o organismo desenvolva um câncer, portanto, sim, o excesso de peso pode aumentar o risco de câncer de mama.

Silicone aumenta o risco de câncer de mama?

MITO: Não existem evidências científicas, de acordo com o Inca, de que o uso de silicone cause ou desenvolva um câncer de mama, entretanto, é possível que em algumas cirurgias de implante de prótese reste algum tipo de cicatriz na região o que acaba impossibilitando um diagnóstico precoce da doença.

Amamentar protege contra o câncer de mama?

VERDADE PARCIAL: Quando uma mulher está amamentando os níveis de hormônios de seu corpo caem. Em tese, com os níveis de hormônios baixos a mulher não corre o risco de desenvolver um câncer de mama, principalmente se amamenta o bebe por mais tempo, vale ressaltar porém, que isso não torna a mulher imune contra doenças pelo resto da vida, mas sim somente enquanto amamenta.

Praticar exercícios previne o câncer

VERDADE:  Quem pratica exercícios físicos tendencialmente perderá gordura corporal e consequentemente baixará o nível dos hormônios do corpo, ao reduzir os níveis de hormônios reduzirão também os riscos de desenvolver um câncer de mama. Os exercícios se torna mais eficazes para esse fim se associados a uma boa dieta com baixo nível de gordura.

Dor nas mamas é sinal de câncer

MITO: Sentir dores nas mamas é normal, isso acontece quando há alteração causada pela oscilações dos hormônios. O câncer é um doença “silenciosa” e seu principal sintoma é o surgimento de um nódulo, ou seja um pequeno caroço no seios que pode ou não surgir acompanhado de dor. Uma outra característica é a alteração da aparência da pele dos seios, ela pode ficar com aparência enrugada principalmente na região dos mamilos.

Terapia de reposição hormonal aumenta o risco de câncer de mama?

VERDADE: Como foi dito anteriormente se os níveis de hormônios estão altos os risco de desenvolver um câncer de mama é bem maior, e a reposição hormonal aumenta esses níveis, deixando assim a mulher mais vulnerável, o ideal é que mulheres que faça esse tipo de tratamento tenha um acompanhamento mais intenso para observar os riscos.

Homens não têm câncer de mama?

MITO: Homem pode sim desenvolver câncer de mama, é muito raro acontecer, mas existem casos confirmados e isso pode acontecer por diversos fatores, sejam eles genéticos ou por abusos com bebidas alcoólicas e tabagismo.

Infelizmente por ser algo muito raro os homem não fazem auto exame e nem tampouco o preventivo anualmente, com isso o diagnostico da doença acaba sendo tardio, tornando seu tratamento mais complicado.

Quem menstrua muito cedo tem mais chance de ter câncer

VERDADE: Isso pode acontecer pelo fato das mulheres menstruar por mais tempo ao longo da vida, tornando-as assim expostas por mais tempo ao estrogênio. Quanto maior o período em que a mulher menstruar, maior também será o tempo em que o organismo estará mandando estrogênio para as mamas.

Quem já teve câncer de mama uma vez nunca mais terá a doença?

MITO: Infelizmente o câncer não é como a catapora ou o sarampo que aparece apenas uma vez na vida, quem já teve câncer não está imune à doença e pode sim desenvolvê-la outras vezes tanto na mesma região, quanto em outras localidades do corpo.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: