Topo

24% dos brasileiros têm hipertensão arterial; Conheça os sintomas de pressão alta

Comente

A hipertensão é uma doença silenciosa e perigosa que está se tornando cada vez mais popular entre os brasileiros. De acordo com uma pesquisa realizada pelo “Ministério da Saúde” em 2012, cerca de 24,3% da população brasileira já sofre de pressão alta. Na sequência você poderá conferir os sintomas e tudo o que você precisa saber sobre a doença.

24% dos brasileiros têm hipertensão arterial; Conheça os sintomas de pressão alta

24% dos brasileiros têm hipertensão arterial; Conheça os sintomas de pressão alta

Fatores de risco da pressão alta

O principal fator de risco para a pressão  alta é a hereditariedade, pessoas com pai ou mãe que sofre com pressão alta, tem 30% de chances de desenvolver a doença, no caso de ambos os pais sofrerem com o problema, os riscos sobem para 50%. Até mesmo quando se tem um tio ou avó que sofra do mal é possível que as chances de desenvolver a doença sejam aumentadas.

Apesar de tudo, vale ressaltar que mesmo sabendo da importância do fator genético, deve-se considerar também  os outros fatores associados que podem colaborar para que o individuo tenha hipertensão.

Alguns maus hábitos, por exemplo, podem exercer também um importante papel no desenvolvimento da doença, é o caso do hábito de fumar, de beber, de se alimentar, de levar uma vida sedentária, dentre outros.

Outro fator de risco para o desenvolvimento da doença é a idade, durante uma pesquisa recente foi observado que 59,2% dos entrevistados que dizia sofrer com a doença tinham em média 65 anos de idade, a doença também pode aparecer em pessoas portadoras de diabetes ou doenças cardiovasculares.

Pessoas que apresentam um ou mais desses fatores de riscos, deve aferir a pressão pelo menos uma vez ao ano.

Leia também:

Sal em excesso é um grande vilão da hipertensão

Os pratos Brasileiros costumam de modo geral conter sal em suas composições, entretanto, apesar de sua importância no preparo dos alimentos, o fato é que ele faz com que o organismo retenha água, fazendo assim a pressão subir nas paredes arteriais.

Além disso, o sódio presente no sal pode causar o estreitamento dos vasos sanguíneos, pois inibe a ação do oxido nítrico, que é uma substância dilatadora presente no organismo. Uma alimentação rica em sal, aumenta e muito as chances de um individuo saudável desenvolver a doença.

Apesar do sal em excesso fazer mal a saúde, ele não deve ser totalmente eliminado da dieta diária, já que também tem sua importância no perfeito funcionamento do corpo. A falta de sal no organismo pode causar hiponatremia, um transtorno grave que pode causar confusão mental e até mesmo um derrame. É por essa razão que os atletas consumem isotônicos, cujo objetivo é repôr o sal que é expelido através do suor.

O sal começa a ser digerido ainda na língua, mais precisamente, nas papilas gustativas, que se fecham como uma espécie de vasos para que não entre tanto sal no organismo. Por essa razão quando alguma pessoa acostumada a consumir pratos salgados acabam não sentindo o sabor do alimento quando precisam ingerir alimento com menos sal. É necessário no mínimo um mês para que uma pessoa se acostume à redução do sal.

CUIDADOS COM A HIPERTENSÃO

Um grande erro que as pessoas cometem é consumir sal para conseguir aumentar a pressão que costuma cair em dias mais quentes. Ao consumir sal a pessoa pode gerar um pico de pressão alta, o que é sabidamente um grande risco. O correto é se alimentar normalmente e consumir bastante liquido, permanecendo em local fresco até que se sinta melhor.

Choques térmicos podem gerar uma crise de pressão alta em qualquer individuo, tenha ele fator de risco ou não. Entrar em uma ducha gelada depois de sair de uma sauna, ou entrar em piscina ou mar após imediatamente após sair do sol escaldante, pode levar um indivíduo a ter uma crise de pressão alta devido à contração dos vasos que ocorre devido à mudança brusca na temperatura do corpo.

Como diagnostica a pressão alta

A única maneira de ter o diagnostico preciso da doença é aferindo a pressão, utilizando-se para isso de aparelhos que verificam a pressão instantaneamente, algo que pode ser feito até mesmo pelo próprio paciente através de um equipamento portátil.

Na maioria dos casos a pressão alta é sintomática, ou seja, ela apresenta alguns sintomas como dores de cabeça, tonturas, inchaços nas pernas, palpitações e até mesmo sangramento nasal. Vale ressaltar ainda que, muitas vezes esses sintomas não aparecem apenas por causa da pressão alta, mas sim devido ao fato dela já ter afetado alguns dos órgão internos, tais como, coração, rins e cérebro.

Alguns profissionais consideram que o valor ideal de uma pressão seja 120/80, ou como é comumente conhecida 12 por 8. Esse valores representam o valor máximo da pressão sistólica 120, e a mínima diastólica 80, que são medidas em milímetros de mercúrio.

Valor a cima de 12 por 8 e inferior a 14 por 9 são considerados limítrofes, ou seja, estão no limites da normalidade, acima de 14 por 9 é excessiva e uma visita ao médico deve ser procedida com urgência.

É importante que se diga que a  pressão alta é um dos principais agentes causadores de doenças cardiovasculares, sendo ela responsável por cerca de 45% dos ataques cardíacos, e 51% dos acidentes vasculares cerebrais.

Tratamento para pressão alta

Na maioria dos casos de pressão alta o tratamento é feito à base de medicamentos contínuos, entretanto, o medicamento é apenas um mero coadjuvante no tratamento à doença. Os pacientes devem levar uma vida saudável, com alimentação rica em frutas, verduras e legumes, além de consumirem pouco sal, evitar alimentos industrializados, controlar o peso e praticar atividades físicas.

No estágio mais leve da doença é possível controlar apenas com a mudança de hábitos, ficando o paciente, livre de medicamentos. Apesar disso, mesmo nesses casos a recomendação deve ser feita por um profissional qualificado.

Casos extremos de hipertensão

Existem pessoas que não conseguem controlar a pressão mesmo com as mudanças de hábitos e consumo de medicamentos, essas pessoas são conhecidas como resistentes, e são cerca de 10% do total das pessoas hipertensas. O tratamento para esse tipo de pessoa consiste em cirurgia, através da qual se alterao sistema nervoso, esse tratamento, no entanto, não é muito comum e ainda está em fase de estudos.


Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: