Letra da Música: Frgt10 (Tradução) - Linkin Park

Esse letra de Linkin Park já foi acessado por 176 pessoas.

Comente

A música Frgt10 fez muito sucesso quando foi gravada por Linkin Park. Que tal aprender a tocar outras músicas? Veja cifras de Linkin Park e toque as músicas que mais gosta no violão ou guitarra.

Veja também o vídeo da música tocada.


Do fim ao início,
do início ao fim, eu paro
o meio foi esquecido
entre meus pensamentos
longe da minha segurança,
a imagem está lá,
a lembrança não me abandona,
por que eu ligaria?
estamos num lugar tão escuro que não se vê
o que acontece entre as palavras que respiro,
a chuva pinga, perguntas ácidas, à minha volta
eu cubro a visão do poder que existe
eu me curvo na escuridão, o tempo acabou
eu me fecho num mundo enferrujado de olhos fechados
tão apertados que se confunde com o mundo imaginário
e os olhos se abrem, tudo escurece novamente
do fim ao início,
do início ao fim eu paro
o meio foi esquecido entre meus pensamentos
longe da minha segurança,
a imagem está lá
a lembrança não me abandona,
por que eu ligaria?
na lembrança você me encontrará
com os olhos queimando
a escuridão me segurando
até o sol nascer
ouça o som, tonto pelos altos e baixos
enjoado pelo rock poluído que existe por ai
olhando as rodas dos carros que passam
até acabar a luz e a sombra
a janela se aproxima e prende a vista
uma luz amarela brilha quando passa por mim
uma figura sentada na frente de uma caixa
dentro é um prédio de pedra com antenas em cima
agora nada pode parar nesta terra de sofrimento
os sãos perdem sem saber que estavam no jogo
o conteúdo muda, mas a caixa permanece igual
e o cara lá dentro poderia ser qualquer um
as lembranças que tenho são de uma época assim
eu coloco o meu papel para poder voltar
um dia espero fechar meus olhos e fingir
que esse papel amassado está perfeito novamente
do fim ao início,
do início ao fim eu paro
o meio foi esquecido entre meus pensamentos
longe da minha segurança, a imagem está lá
a lembrança não me abandona
estou no pódio discursando, as oferendas cerimoniais
dedicadas à cria urbana deficiente
o que está acontecendo?
os governos das cidades estão sempre dormindo
presos na ganância, causando o colapso urbano
balas que deixam cicatrizes na alma
mais do que seu carro roubado
alguns corações estão mais pretos que carvão
na real, a privação da cidade depende
não das nossas diferenças, mas da nossa separação
sem preparo, auxílio limitado e salário mínimo
vivendo em uma jaula alugada
uma tragédia na parada
a escuridão se alastra como uma praga permanente
eu, o esquecido
na lembrança me encontrará
com os olhos queimando
a escuridão me segurando
até o sol nascer


Quer fazer uma correção nesta letra?







    Comentários (0) Postar um Comentário

    Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!