Chaves e Chapolin, Oh, e agora quem poderá nos defender?

Comente

Chaves e Chapolin estão entre os programas mais assistidos e queridos dos brasileiros. Apesar dos shows originais datarem da década de 70, até hoje as pessoas ainda assistem, sendo inclusive programas responsáveis por grandes audiências para o canal SBT. E estas duas criações acabaram nascendo da cabeça de Roberto Gómez Bolaños.

Chamado de Chespirito e considerado como um dos maiores artistas do México, ele foi ator, escritor, comediante, dramaturgo, compositor, diretor de televisão e filantropo. Para se ter uma ideia da grandeza de Roberto como artista, o seu apelido, Chespirito, acabou sendo criado a partir do diminuitivo de Shakespeare (Chekspir), sendo que o apelido teria sido dado pela primeira vez pelo diretor de cinema Agustín P. Delgado.

Chespirito começou a trabalhar com televisão no México praticamente ao mesmo tempo que as transmissões começaram a acontecer naquele país. No ano de 1968 ele acabou sendo chamado para trabalhar como escritor e redator do canal que se transformaria posteriormente na Televisa. O primeiro programa assinado por Roberto foi "Los Supergenios de la Mesa Cuadrada". Ao lado de Chespirito, contracenavam Ramón Valdés, Rubén Aguirre e María Antonieta de las Nieves, que depois entrariam para a história ao também participar dos programas Chaves e Chapolin.

Tanto Chaves quanto Chapolin acabaram sendo vendidos para diversos países, fazendo sucesso em praticamente todos eles, mas especialmente no Brasil. Chaves acabou se tornando o programa de maior sucesso do autor, com uma história simples mas que cativou milhões de pessoas.

Infelizmente o gênio nos deixou no ano de 2014. Confira no infográfico abaixo como foi a repercussão da morte de Roberto Gómez Bolaños e algumas curiosidade sobre a sua obra.




Insira em seu site ou blog





Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!