Fazes da Necessidades Virtude

Essa mensagem já foi acessada por 2749 pessoas.

3.50 / 5 - 2
Comente

Trataste-me com um desprezo olímpico.
Como se, simplesmente, ignorasses impertinências
de uma adolescente.
Neste momento ainda me dói, mas, dentro em pouco, primeiro
o ódio e depois a indiferença se instalarão no meu coração.
Não tenho tempo.
Aprendi, também...
Vivo de mau-humor e isso é sistemático.
Poderia aceitar o meu fracasso e dirigir minha agressividade
contra mim mesma.
É o que faço habitualmente. Mas agora a cólera se apodera de mim.
E a impaciência.
Sim, pois conheço os mecanismos de minha alma.
Em outros tempos, eu teria podido imaginar que amava
um super-homem.
Agora sei que é muito pouco, se eu te despojo de minhas projeções.
De modo que, se te negas ser suporte de meus anelos, não tenho
outro remédio se não dar a marcha ré.
Estou nervosa desesperançada.
Não me restam forças para lutar, mas, principalmente, não
saberia por quê fazê-lo.
Felizmente não recebes a mensagem de meu mau-humor.
Eu ficaria muito humilhado se soubesses que estou furiosa.
Nunca reivindicarei nada de ti.
Pelo menos, não de forma explicita.
Seria confessar minha frustração.
Prefiro o silêncio.


  • Autor: Sue P. Prank









Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!