Eliane Giardini

Essa celebridade já foi acessada por 5173 pessoas.

5.00 / 5 - 1
Comente
Nome completo:
Eliane Teresinha Giardini
Significado do nome:
Associado ao Sol, esse nome indica uma pessoa perspicaz e cordial, que sabe se comportar bem em qualquer situação. Embora um pouco dispersiva, tem muita habilidade para lidar com o público
Data de nascimento:
20/10/1952

Biografia

Eliane Teresinha Giardini nasceu no mês de outubro, em 1952, na cidade de Sorocaba, em São Paulo.


Sua carreira de atriz teve início aos 17 anos, quando ingressou na Escola de Teatro da Universidade de São Paulo. Aos 21 anos, casou-se com Paulo Betti, com quem teve duas filhas: Mariana e Juliana. Eliane chegou a dar uma pausa na carreira para ser mãe e só retornou aos palcos nos anos 80.


Uma década depois, teve sua estreia na Rede Globo de Televisão e interpretou a personagem Lucinda numa minissérie chamada “Desejo”. Foi nessa época que Giardini se separou de Paulo Betti, após vinte e cinco anos de matrimônio.


A vida profissional de Eliane Giardini se desenvolveu à medida que ela ganhava papéis em novelas, o que ajudou para que contracenasse com vários artistas famosos. Em 1993, a atriz encarnou a personagem Dona Patroa ao lado de nomes como Antônio Fagundes, Adriana Esteves e Marcos Palmeira na produção “Renascer”, conquistando várias críticas positivas, além do título de uma das mais lindas do Brasil. Dois anos mais tarde, viveu Lola em “Explode Coração” e, em 1997, integrou o elenco de “A Indomada” no papel de Santinha, personagem mais marcante de toda a trama. Atualmente vive Ordália em “Amor à Vida”, a novela das nove da Rede Globo.


Eliane Giardini foi contemplada com inúmeros prêmios de melhor atriz, tanto no teatro como na televisão e no cinema. Em 1997, foi premiada como “Melhor Atriz” no Festival de Cinema de Gramado por “O Amor Está no Ar”, um longa. No ano de 2002, recebeu da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) o título de “Melhor Atriz” por seu trabalho na novela “O Clone”. Giardini também venceu a nomeação em 2003, por seu papel em “A Casa das Sete Mulheres” e, em 2007, por suas performances em “Eterna Magia” e “Cobras & Lagartos”. Ela ainda foi consagrada como “Melhor Atriz Coadjuvante” e “Melhor Par Romântico” (com Murilo Rosa) pela novela “América”, de 2005.









Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!