Antonio Calloni

Essa celebridade já foi acessada por 4298 pessoas.

Comente
Nome completo:
Egizio Antônio Calloni
Significado do nome:
Significa o que está na vanguarda e indica uma pessoa de força interior e fé inabalável nos seus próprios ideais. Isto lhe permite estar sempre à frente, abrindo caminhos que geralmente levam a resultados positivos para todos.
Data de nascimento:
06/12/1961

Biografia

Poucos atores da TV brasileira se arriscam a trilhar uma carreira paralela à dramaturgia, mas esse parece não ser o caso de Antônio Calloni que, além de interpretar personagens memoráveis, ainda escreve poemas e contos muito bem aceitos pelo público e pela crítica.


Filho de pais italianos, ambos da região da Toscana, ele nasceu em São Paulo no dia 6 de dezembro de 1961. Chegou a cursar simultaneamente ciências sociais e artes cênicas com o prestigiado diretor Antunes Filho, mas acabou optando apenas pelos estudos voltados para a carreira artística.


Seu primeiro trabalho na TV foi na minissérie “Anos Dourados”, em 1986, interpretando Claudionor (Nonô). A trama retratava o Rio de Janeiro da década de 50. Nesse mesmo ano, ele foi convidado por Ivani Ribeiro para participar da novela “Hipertensão”, a primeira da sua carreira.

Após essa estreia, o ator participou de outras novelas e minisséries, com destaque para “O salvador da Pátria”, “Chiquinha Gonzaga”, “Os Maias”, “Suave Veneno”, “Terra Nostra”, “O Clone”, “Páginas da Vida”, “Caminho das Índias” e “Salve Jorge”, seu mais recente trabalho.


Antônio Calloni também teve participações importantes em programas como “TV Pirata”, “Os Normais”, “Sai de Baixo”, “A Grande Família”, “Você Decide”, “A Vida Como Ela” e “Linha Direta”.


No seguimento literário, o ator lançou sua primeira obra em 1999, intitulada “Os Infantes de Dezembro”. Em seguida ele escreveu “A Ilha de Sagitário”, “O sorriso de Serapião e Outras Gargalhadas”, “Paisagem vista do trem e Travessias Singulares”, entre outros títulos.

Talentoso, Calloni já foi escolhido como melhor ator no Festival de Gramado. O artista também foi premiado pelo Moliere e pela ACIE (Associação dos Correspondentes de Imprensa Estrangeira). Seu livro “Os Infantes de Dezembro” lhe rendeu mais uma premiação, o “Jorge de Lima”, oferecido pela Academia Carioca de Letras e a União Brasileira de Escritores.








Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!