Entenda o que é Bitcoin e o processo de compra e venda da moeda no Brasil

Comente

Se você vive minimamente antenado com o universo da tecnologia (ou mercado financeiro), é provável que em algum momento já tenha ao menos ouvido falar sobre a palavrinha “Bitcoin”. Mas o que exatamente seria isso?

Pois bem, a grosso modo, trata-se de uma espécie de “dinheiro da internet”, ou como muitos dizem: uma “moeda virtual”. Criada em 2009, a referida moeda surgiu para revolucionar a maneira de se fazer negócios online, trazendo uma nova abordagem para o mercado financeiro convencional.

Ela que ainda é vista por algumas pessoas com certa desconfiança, já é sucesso no mundo inteiro, inclusive no Brasil, pelo que, cresce a cada dia o número de internautas interessados em comprar, vender e até ajudar o sistema a colocar novas moedas na web pelo processo conhecido como “mineração de bitcoins”.

Agora, se você é um dos muitos que ainda não entendem exatamente como funciona a moeda e não sabe como é possível lucrar com ela, não se preocupe. A seguir apresentamos algumas informações pontuais a respeito do assunto. Confira!

Esclarecimentos úteis sobre “Bitcoin”, o dinheiro da internet

Bitcoin

Detalhes substanciais sobre o Bitcoin

A moeda que se popularizou ao redor do mundo, é virtual e não tem nenhuma instituição financeira como responsável. Apesar disso, é usada como forma de pagamento por quem deseja comprar ou vender itens pela internet com rapidez, anonimato e taxas baratas.

Nesse caso, o dinheiro surge como a primeira rede de pagamento com o sistema gerenciado pelos próprios usuários, sem intermediação de um Banco Central ou autoridade equivalente.

O início da moeda e sua ascensão

Até onde se sabe, o Bitcoin teve origem no ano de 2009 como resultado da influência de algumas ideias presentes em um manifesto batizado de Cyberpunk. O projeto em si teria contado com a ajuda de uma série de programadores gabaritados, no entanto, o que frequentemente leva o crédito pela criação do recurso é famoso sob o pseudônimo Satoshi Nakamoto.

A emissão dos bitcoins

Nesse momento você pode estar se perguntando: se o bitcoin é uma moeda, quem faz a emissão da mesma? Pois bem, a resposta a essa questão não tende a ser simples, mas a grosso modo, é preciso imaginar que o processo de entrada da moeda no mercado ocorre de maneira similar ao da entrada do ouro, uma vez que ambos ocorrem por meio da chamada “mineração”.

Apesar disso, na prática a mineração da moeda virtual em nada se assemelha ao processo adotado no caso do ouro. Quem deseja “garimpar” bitcoins, precisa na verdade de um computador poderoso, com software adequado e ligado a uma rede de outros computadores.

Leia também:

Flutuação e Valorização da moeda

Por se tratar de uma moeda, o valor do Bitcoin também sofre oscilações no mercado, pelo que o preço de compra e venda é absolutamente instável. Seguindo as leis de mercado, as regras válidas para as flutuações da moeda são basicamente as mesmas que as que contribuem com a variação de outras moedas: oferta e procura.

Para entender um exemplo claro do quanto o valor do Bitcoin pode oscilar em pouco tempo, basta voltar um pouco no tempo até 2013. No mês de janeiro do referido ano, 1 BTC (um Bitcoin) era equivalente a cerca de US$ 13 (treze dólares), mas em novembro, 10 meses depois, 1BTC chegou a valer US$ 1.000 (mil dólares).

Isso significa dizer que, uma pessoa que porventura tenha pago US$ 1.300 (mil e trezentos dólares) em cerca de 100 bitcoins no início de 2013, poderia ter um capital de US$ 100 mil (cem mil dólares) em sua carteira virtual no mês de novembro.

Como comprar créditos para trocar por Bitcoins

Como se tornou uma moeda bastante popular, o mercado de compra e venda de bitcoins cresceu rapidamente, pelo que, praticamente qualquer pessoa consegue comprar créditos para trocar por bitcoins.

Nesse caso, os interessados precisam fazer o cadastro em site como o do Mercado Bitcoin. Mas é importante esclarecer que nesse caso é preciso ter saldo em reais para comprar a moeda. Após fazer o cadastro então, cabe ao usuário ir até a página de depósitos para ver as instruções de como proceder.

Pouco tempo depois de cumprir os procedimentos de inserção de créditos, o usuário estará apto a negociar os bitcoins.

Comprar e vender Bitcoin

Depois de cadastrado em sites como o do Mercado Bitcoin e seguir todos os passos para aquisição de créditos, o interessado nas moedas deve fazer login em sua conta, informar o valor em reais (ou quantidade de bitcoins desejada levando em consideração a cotação da moeda) e depois clicar em “Comprar”.

Para vender a moeda o processo é igualmente simples, é só ir até a tela inicial do site e clicar em “Vender”, especificando a quantidade que pretende vender para conseguir assim completar a transação.

Os riscos do investimento

Assumir riscos é um pré-requisito básico para quem pretende fazer investimentos, e em se tratando de bitcoins isso não é diferente. Um dos riscos para o iniciante nesse novo cenário, é a volatilidade da moeda, conforme já ilustramos anteriormente, o que significa que o preço de compra e venda pode flutuar rapidamente, para mais ou para menos.

E outro risco relacionado ao negócio diz respeito à segurança da carteira virtual, uma vez que, pela internet existem muitos invasores que podem utilizar malwares para roubar chaves de segurança e outros dados capazes de dar acesso à referida carteira.

E por fim há ainda o terceiro risco, que diz respeito às incertezas em relação à regulamentação legal da moeda. Apesar de a rede Bitcoin garantir segurança, há o fato de o serviço não ser intermediado por nenhum banco, uma novidade que pode deixar muita gente com o pé atrás.

Sites confiáveis

Seja em negociações por bitcoins, ou quaisquer transações que envolvem dinheiro pela web, ter cuidado é algo indispensável.

Diante disso, em se tratando especificamente da moeda virtual, é sempre bom não confiar grandes quantidades de dinheiro em sites sobre os quais não se sabe muito, até porque em um passado não tão distante surgiram muitos casos de carteiras virtuais sofrendo com falhas de segurança.

De acordo com especialistas, uma alternativa, portanto, seria usar sites seguros para fazer o serviço, a lista incluiria nomes como o BitGo, Bitcoin Core, Armory, mSIGNA, BitcoinWallet, GreenAddress, dentre outros famosos no gênero.



Notícias relacionadas




Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!