Topo

5 coisas que podem anular o efeito do anticoncepcional

Comente

Muitas mulheres que engravidaram mesmo tomando anticoncepcional, acabam dizendo que a pílula não fez efeito ou que era fraca de mais. A realidade, porém, é que uma boa parte delas esquece de ler a bula da pílula e de se informar com o médico sobre a forma correta de tomar.

Vale ressaltar que, na maioria dos casos, a pílula anticoncepcional tem ação de 24 horas apenas, por isso é importante que seja tomada todos os dias no mesmo horário, para que não haja nenhum problema.

Outra coisa que boa parte das mulheres não sabe é que alguns medicamentos e quadros clínicos podem alterar a eficácia do anticoncepcional, fazendo com que o corpo volte a ovular mesmo tomando a pílula. Veja a seguir alguns fatores que podem cortar o efeito do anticoncepcional e você provavelmente não sabia.

Coisas que podem comprometer o efeito do anticoncepcional

5 coisas que podem anular o efeito do anticoncepcional

Uso de outros medicamentos

Veja também:

Sim, muitos remédios podem influenciar ou alterar o efeito do anticoncepcional, a lista inclui os antibióticos, anticonvulsivantes, antidepressivos e antirretrovirais. Por isso é importante consultar seu médico regularmente como medida de segurança, para que ele possa orientar quanto ao uso do anticoncepcional e explicar sobre a interação da pílula com outras medicações.

Vômitos e diarreia

Esse fatores podem alterar a qualidade da absorção do medicamento, pelo que, é possível que o efeito da pílula seja prejudicado. Alguns ginecologistas relatam que não há um intervalo de segurança entre a ingestão do anticoncepcional e o vômito ou a diarreia, por isso orienta-se que, se o problema ocorrer dentro de 2 a 4 horas após a ingestão da pílula, é preciso tomar um cuidado extra, ou seja usar camisinha, ou em alguns casos, tomar outra pílula.

Caso o quadro persista, o ideal é suspender o uso da pílula e optar por outro método que não dependa de digestão ou absorção do trato gastrointestinal.

Candidíase

De acordo com pesquisas, pelo menos uma vez na vida, três em cada quatro mulheres vão ter candidíase, esse é um problema muito comum que pode ser sinal de alerta para alterações no anticoncepcional. Lembrando que a própria situação da candidíase já é uma situação de baixa imunidade, logo, haverá alteração da absorção do anticoncepcional e risco de gravidez.

Chás

Um paciente de hábitos comuns não precisa se preocupar muito com esse aspecto, pois os chás de uso corriqueiro não diminuem o efeito do anticoncepcional. Entretanto a erva de São João, usada para tratar depressão, pode interferir na absorção.

Além disso, alguns ginecologistas pedem para as pacientes não usarem chás com efeito diurético, mesmo não havendo nada cientificamente comprovado nesse sentido. Na dúvida, redobre os cuidados combinando a pílula com métodos contraceptivos de barreira, tais como camisinha ou diafragma.

Doenças intestinais

Algumas doenças do trato gastrointestinal, tais como retocolite ou Doença de Crohn, podem alterar a absorção dos componentes das pílulas anticoncepcionais.

Para quem deseja evitar uma gravidez não planejada, o ideal é combinar a pílula com outro método de contracepção, como o preservativo feminino ou masculino, pois além da gravidez, esses métodos ainda podem proteger o corpo das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).




Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: