Topo

Sexismo invisível. Quando um escritor trocou de assinaturas com sua colega.

Comente

Muitas pessoas insistem em dizer que, atualmente, não existe mais sexismo e que as mulheres já possuem, sim, direitos iguais. Mas o que a maioria dessas pessoas não consegue ver é que o machismo existe sim e pior ainda quando ele não é visto.

homem calando a boca de uma mulher

O escritor Martin Schneider trocou assinaturas de e-mail com uma colega e se surpreendeu, negativamente, com o que aconteceu em seguida. Ao enviar emails com as assinaturas trocadas, Martin  recebeu respostas drasticamente diferentes de clientes, que descreveu sua experiência em uma série de tweets que foram viral. Os clientes foram rude e condescendente e um perguntou se ele era solteiro. O escritor afirma que não é melhor em seu trabalho do que Nicole, mas simplesmente tem uma "vantagem invisível" -  o sexismo que as mulheres enfrentam no local de trabalho.

No trabalho, certo dia, o escritor Martin Schneider, da Filadélfia, ficou perplexo com as respostas "grosseiras e desdenhosas" de um cliente aos seus e-mails. Depois de algumas trocas, ele percebeu que devido a uma caixa de entrada compartilhada, ele tinha se enganado ao assinar seus e-mails com o nome de sua colega de trabalho, Nicole Pieri. Uma vez que o cliente soube que ele estava conversando com um homem, Martin, 28, testemunhou uma "melhoria imediata" em seu diálogo.

Veja também:

O escritor Martin Schneider trocou as assinaturas de email com sua colega de trabalho e, do ao contrário dele, sua colega, Nicole Pieri, acabou tendo "a semana mais produtiva de sua carreira" a partir do momento que os clientes começaram a conversar com ela por email achando que tratavam com um homem. Convencido de que o tom do cliente tinha mudado porque ele pensou que ele estava lidando com uma mulher, Martin trocou assinaturas com Nicole por duas semanas para testar sua teoria.

Sexismo invisível. Quando um escritor trocou de assinaturas com sua colega.

Como supervisor de Nicole, Martin disse que ele estava sempre sob pressão de seu próprio patrão para torná-la mais eficiente, já que o trabalho muitas vezes demorava mais.

Achei que a razão pela qual consegui que as coisas fossem feitas mais rapidamente era por ter mais experiência - disse Martin.

Após a experiência com o cliente rude que pensou que ele estava conversando com Nicole, no entanto, seu olhar mudou. Durante a troca inicial, o cliente difícil disse a Martin que "seus métodos eram os padrões da indústria (eles não eram) e eu não conseguia entender os termos que ele usou (eu poderia)".

Quando Martin notou a assinatura de Nicole em seu e-mail, ele teve um estalo e começou a entender do que se tratava: "Foi com Nicole que ele estava sendo rude, não comigo. Então, por curiosidade, eu disse: "Ei, é Martin, estou assumindo esse projeto para Nicole".

Na mesma hora o tratamento feito pelo cliente à Martin mudaram instantaneamente:  "Recepção positiva, agradecendo-me por sugestões, responde prontamente, dizendo" grandes perguntas! " Tornou-se um cliente modelo. Nota: Minha técnica e conselhos nunca mudaram. A única diferença era que eu tinha o nome de um homem agora.

Martin compartilhou sua experiência através de vários tweets que bombaram na internet e proporcionou inúmeras reflexões sobre o tema.



Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: