Topo

5 hábitos que podem causar problemas em uma viagem para o exterior

Comente

Viajar para conhecer outros lugares ao redor do mundo é um dos maiores sonhos dos brasileiros, mas é importante saber que, em determinadas regiões um turista pode enfrentar muitos perrengues por pura ignorância em relação à cultura local.

O motivo? Alguns hábitos e gestos que são corriqueiros no Brasil, podem ser vistos como ofensa em alguns países. A seguir você confere uma lista com cinco exemplos de coisas que não devem ser feitas em certas viagens internacionais.

Costumes que não são bem-vindos em outros países

Cuspir um chiclete na rua

Costumes que não são bem-vindos em outros países chiclete

Jogar lixo no chão é algo que não deveria ser encarado como normal em lugar nenhum, mas, a verdade é que uma grande parte dos brasileiros ainda não se conscientizou da importância de manter o lixo no lixo. Por isso mesmo, é bastante comum encontrar no Brasil algumas pessoas que têm o hábito de cuspir chiclete na rua.

Veja também:

Em Cingapura, porém, esse tipo de atitude é considerado crime lesa-pátria. Isso significa que, se for flagrado cuspindo chiclete mastigado ou qualquer outra sujeira em uma calçada da região, o turista pode ser condenado a pagar uma multa de milhares de dólares.

Vale destacar inclusive, que por lá a venda de chiclete por lá é rigidamente controlada pelo fato dos mesmos serem considerados inimigos públicos devido ao seu potencial para sujar as vias e transportes públicos. De modo geral, os que são permitidos são as gomas de nicotina, que ajudam a parar de fumar, por exemplo.

Dito isso, levar uma grande quantidade de chiclete para o país também pode não ser uma boa ideia, já que se os oficiais da imigração pegarem, podem considerar a possibilidade de "tráfico", o que pode levar o turista a ter problemas com a lei local.

Gestos que não são bem-vistos

Costumes que não são bem-vindos em outros países gestos moutza

Em alguns países, gestos que por vezes são considerados comuns no Brasil também podem trazer problemas. Na Grécia, por exemplo, apontar a palma da mão é um gesto ofensivo conhecido como "moutza", que remonta à época bizantina e tem basicamente o mesmo peso de um "vai tomar no...".

Já em países muçulmanos, mostrar a sola do sapato para alguém, ainda que inconscientemente – como ao cruzar as pernas depois de se sentar – é algo visto como ofensivo, já que sapatos são considerados itens extremamente impuros.

Agora, na Itália, o problema é com o gesto de "figa", que no Brasil é visto como uma ação contra o azar. Por lá ele é associado ao órgão genital feminino, podendo, portanto, ser considerado ofensivo. O mesmo pode acontecer na Turquia e Índia.

Ingerir bebida alcoólica em público

Costumes que não são bem-vindos em outros países beber em público

Beber uma cervejinha ou outra bebida alcoólica em público também pode gerar problemas em alguns países. No Egito, por exemplo, a pessoa que for flagrada bebendo na rua pode ser multada.

O mesmo acontece em Dubai, nos Emirados Árabes, mas por lá, além da multa, a atitude também pode ser passiva de deportação e até prisão, especialmente se acompanhada de confusão.

Outro lugar que também tem regras rígidas quanto a isso é o estado da Califórnia, onde a multa pode chegar a algumas centenas de dólares para quem for flagrado com uma lata de cerveja aberta em um parque ou na rua.

Beijar o parceiro na rua

Costumes que não são bem-vindos em outros países beijar na rua

Assim como ingerir bebida alcoólica, beijar o parceiro na rua também pode ser considerado um problema em alguns países. Isso acontece normalmente em regiões onde a religião tem forte influência sobre a população, o que inclui, por exemplo, a Índia e grande parte das nações islâmicas.

Exemplo disso é que um casal britânico foi condenado a um mês de prisão em Dubai, nos Emirados Árabes, tudo por ter supostamente se beijado em um restaurante local. Isso também pode acontecer no Egito, onde o beijo na boca em público é visto como crime.

Vale destacar ainda, que alguns hotéis em países como esses podem pedir um certificado de casamento no check-in, por isso, ao se hospedar com alguém do sexo oposto sem um comprovante de matrimônio, é importante se certificar de que o hotel não adere a essa política.

Transar com uma nativa

5 hábitos que podem causar problemas em uma viagem para o exterior

A lei islâmica condena o casamento – e o sexo – entre um homem não muçulmano e uma mulher muçulmana. Entre os países que mais levam essa regra a sério está o Irã.

De acordo com notícias, no final dos anos 90 a polícia chegou a prender um turista alemão, que acabou condenado à morte por ter feito sexo com uma nativa. Após dois anos de prisão ele acabou conseguindo a liberdade com a ajuda dos serviços consulares.




Comentários (0) Postar um Comentário

Nenhum comentário encontrado. Seja o primeiro!

Oi, Bem-vindo!

Acesse agora, navegue e crie sua listas de favoritos.

Entrar com facebook Criar uma conta gratuita 
Já tem uma conta? Acesse agora: